Curta sergipano é selecionado em festival de São Paulo

0
Bastidores do curta (Foto: Ascom/Funcaju)

O curta sergipano ‘Do outro lado do Rio' foi selecionado para o 22º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo (Kinoforum), que acontece de 25 de agosto a dois de setembro, em São Paulo-SP. O filme foi uma das várias produções audiovisuais desenvolvidas nos cursos promovidos em 2010, através do Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira, pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esporte (Funcaju), em parceria com a Secretaria do Audiovisual, do Ministério da Cultura.

‘Do Outro Lado do Rio' será o primeiro filme sergipano a participar da Mostra Brasil, um dos programas realizados pelo evento que é considerado o maior festival de curtas da América Latina. A gravação foi feita em Aracaju e na Barra dos Coqueiros, durante o curso de Realização em Audiovisual promovido em outubro do ano passado pelo NPD Orlando Vieira. Para ministrar o curso, a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) trouxe à capital uma equipe do Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina (Kinoarte).

Os professores Rodrigo Grota, Anderson Craveiro, Bruno Gehring e Felipe Almeida coordenaram a equipe formada por 20 alunos do NPD. Durante oito dias, eles puderam aprender com os profissionais especialistas em direção e roteiro, direção de fotografia, produção e direção de arte. O desenvolvimento dos conhecimentos práticos transmitidos durante o curso teve o curta como resultado final. Os alunos se transformaram numa verdadeira equipe de cinema, sendo responsáveis, desde a concepção do roteiro, à edição final do filme, que também foi selecionado para o  Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE).

Cenário

O enredo de ‘Do Outro Lado do Rio' conta a história de um pescador embrutecido pelas circunstâncias da vida e retrata o dia a dia com sua filha, uma menina tímida e cheia de sonhos. Um dos diferenciais do curta é o grande emprego de Aracaju enquanto cenário. Os Mercados Municipais, a Colina do Santo Antônio e até mesmo uma procissão no Bugio são alguns dos planos de fundo utilizados, que, além de contribuir para o enriquecimento da história, evidenciam as belezas naturais e culturais da capital sergipana.

Em prol de seu nascimento, a equipe foi dividida em grupos responsáveis por diferentes aspectos da construção do curta e, a partir daí, desenvolveu uma árdua rotina de trabalho. Em busca da melhor iluminação possível, por exemplo, as gravações foram realizadas em horários que iam de 3h30 da madrugada às 9h30 da manhã e das 15h da tarde às 23h da noite. Em conjunto com uso de equipamentos de ponta disponibilizados pelo Núcleo de Produção Digital, o resultado foi um filme de qualidade ímpar, evidenciada pela seleção para a Mostra Brasil do Kinoforum.

Incentivo

Além de ser o primeiro curta-metragem sergipano a participar do Kinoforum, ‘Do Outro Lado do Rio' é também o primeiro curta realizado pelos diversos NPDs espalhados por todo o Brasil a ser selecionado para o Festival. "Tudo isso se deu a um investimento sério do poder público no audiovisual em Aracaju", afirma Waldoílson Leite, presidente da Funcaju. "Esse feito mostra que o NPD tem desenvolvido um bom trabalho e nos incentiva a manter uma busca constante por parcerias que possibilitem a oferta desses cursos,  os quais dotam os jovens sergipanos do conhecimento e da técnica que os permitem desenvolver sua criatividade", completa.

Para Graziele Ferreira, coordenadora geral do NPD Orlando Vieira, participar de um festival com o porte do Kinoforum é um feito inédito. "Ao longo desses anos, o Núcleo em Aracaju tem crescido e hoje é referência para o programa Olhar Brasil, de onde partem todos os NPDs do país. Através de suas ações, o NPD Orlando Vieira democratiza as oportunidades, dando aos nossos jovens o acesso a cursos e equipamentos de alta qualidade. Nove meses depois de ‘Do Outro Lado do Rio' ter sido concluído, veio o reconhecimento. Esse feito mostra que o investimento em audiovisual também pode ter um retorno rápido", vibra Graziele.

Fonte: Funcaju

Comentários