Definido nome do Museu a ser presenteado pelo Banese aos sergipanos

0

As diretorias do Banese e do Instituto Banese se reuniram com o designer Marcello Dantas

As diretorias do Banese e do Instituto Banese estiveram reunidas com o renomado designer Marcello Dantas, da empresa Magnetoscópio, responsável pela museografia do Banese Cultural, a ser instalado no antigo Atheneuzinho, ainda neste semestre. A reunião ocorrida no Centro Administrativo do Banco, teve como objetivo consolidar o nome do Museu da Gente Sergipana – Banese Cultural, e alinhar diretrizes de montagem da cenografia, prevista para o final deste mês.

Marcello Dantas aproveitou a viagem a Sergipe, para vistoriar a obra do antigo Atheneuzinho, acompanhado da diretoria executiva do Instituto Banese, ficando entusiasmado com o andamento das ações, antevistas no cronograma. “Fiquei muito animado com o que percebi no Museu. Acredito que em duas ou três semanas, no máximo, esteja tudo concluído para início da instalação museográfica”, afirmou o designer ao diretor Administrativo e de Tecnologia do Banese, Rodrigo Corumba, quando se referiu ao espaço onde será instalada a cenografia. “Agora sim, o prédio do Atheneuzinho está com ‘cara’ de Museu”, ratificou Marcello.

Segundo informou o designer, a parte de conteúdo do Museu da Gente Sergipana está concluída e pronta para ser instalada por sua equipe, até o final de setembro. Dantas declarou ainda que a partir de agora, a maior parte do tempo será tomada pelo cronograma de filmagens aqui no Estado, para instalação da museografia no espaço cultural.  

Durante a reunião, o diretor administrativo e de tecnologia do Banese, Rodrigo Corumba, garantiu que serão inseridas pessoas da comunidade nas filmagens que irão compor a museografia da exposição temporária relativa ao cinqüentenário do Banese. “Iremos ressaltar a participação do Banese como fomentador da economia sergipana, nas diversas áreas de atuação do banco, tais como: cultura, crédito, esporte, inclusão bancária, ação social, dentre outras”, destacou Corumba.

Comentários