Dramaturgo incentiva leitura às margens do rio Sergipe

0
Euler explica que o projeto nasceu de um desejo pessoal visando se dedicar de maneira mais compromissada com a leitura (Foto: Portal Infonet)

Iniciado há pouco mais de dois meses, o projeto “Eu leio Para Você Às Margens do Rio”, criado pelo diretor e dramaturgo do grupo de teatro “A Tua Lona”, Euler Lopes, convida as pessoas a ouvir uma boa história tendo como plano de fundo o rio Sergipe. O projeto vem ocorrendo de maneira mensal. A cada mês Euler escolhe alguma obra de autores da sua preferência. Em janeiro o projeto começou com um livro de contos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu; em fevereiro os escritos de Lygia Fagundes Telles entraram em cena. E neste mês de março a escolhida foi a escritora sergipana Núbia Marques.

Euler explica que o projeto nasceu de um desejo pessoal visando se dedicar de maneira mais compromissada com a leitura. “Eu queria ter um tempo para ler. E com o projeto eu tenho esse compromisso marcado”, afirma. Ainda segundo o dramaturgo, a ideia surgiu a partir de uma doce lembrança da infância. “Quando eu voltava da escola sempre ficada no murinho às margens do rio com alguns amigos, jogando conversa fora”, recorda.

Assim que veio a ideia à mente, Euler compartilhou nas redes sociais e explicou como seria o projeto. Passado alguns meses, ele se diz surpreso com a receptividade das pessoas (Foto: Portal Infonet)

Assim que a ideia veio à mente, Euler compartilhou nas redes sociais e explicou como seria o projeto. Passado alguns meses, ele se diz surpreso com a receptividade das pessoas. “Não pensei que as pessoas iriam topar assim de cara. Eu chego a fechar a agenda do mês em apenas um dia”, comemora Euler. O dramaturgo destaca também que é muito interessante ouvir os comentários após as leituras. “Como eu não leio previamente todos os textos, fico suscetível a muitas surpresas. Teve um conto que li para dois adolescentes que ao final tanto eles quanto eu não entendemos nada”,  brinca.

Em um sociedade movida a uma pressa constante, o ato da leitura, segundo Euler, faz a pessoa emergir numa calma como se transportasse diretamente para o centro da história que lhe é lida. “Embora o trânsito às vezes atrapalhe um pouquinho, é muito bonito de ver quando uma pessoa chega a um nível de atenção e concentração tão grandes que esquece o barulho lá fora”, pontua.

por João Paulo Schneider 

Comentários