Edital Orlando Vieira: produção de curtas a todo vapor

0
Curta 'Tudo Vai Ficar Bem', um dos contemplados do Edital. (Foto: Arthur Soares)

A produção audiovisual em Sergipe ganha um forte incremento através do Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Digitais de Curta Metragem, que ficou conhecido como o Edital Orlando Vieira. Seguindo as regras estabelecidas pelo edital, os produtores devem lançar os curtas até o mês de setembro. Até lá, eles terão muito trabalho pela frente.

Dos 30 projetos inscritos, cinco foram contemplados e cada um recebeu um recurso de R$ 30 mil para viabilizar as produções. Um exemplo dos curtas que estão sendo gravados é o ‘Caixa D’Água: Qui-lombo é esse’, que está em fase de produção.

A responsável pelo projeto, Everlane Moraes, informou que as filmagens começaram em maio e vão até julho. O curta tem lançamento previsto para 15 de setembro. Para Everlane, a importância de ser contemplada por um edital como o Orlando Vieira é muito grande.

“Esse é o tipo de edital que contempla não só quem produz o documentário ou o vídeo de ficção, mas toda uma rede de profissionais e também a comunidade, que ao mesmo tempo que é nosso objeto de estudo, é também nosso cliente. A Secult está mais do que parabenizada. O projeto é genial”, explicou, entusiasmada, a produtora.

Segundo Raphael Borges, produtor do curta intitulado ‘Luzeiro’, as filmagens iniciam neste mês de  julho devido às condições climáticas específicas que o filme exige. “Estamos esperando o clima correto, bem verde para começarmos a gravação. A escolha do elenco também está acontecendo com muito rigor para que tudo dê certo”, comentou Raphael.

O projeto ‘Luzeiro’ conta a história da chegada dos postes de luz elétrica ao povoado Limoeiro, em Lagarto, realizada em meio a manobras políticas visando à eleição.

Outro trabalho contemplado no edital foi o documentário que vai contar um pouco da vida e obra do artista plástico sergipano Joubert Moraes, intitulado ‘Aracajoubert’, produzido por Jade Leonardo. Jade comentou que o curta terá dois lançamentos oficiais.

“Em setembro estaremos lançando o documentário ‘Aracajoubert’, mas em dezembro faremos um novo evento, desta vez com direito a lançamento de CD, de um livro e acompanhado por um show musical”, se entusiasma a produtora.

A outra produção aprovada e que vem movimentando ainda mais o cenáio do audiovisual em Sergipe é 'Hotel Palace' do diretor André Aragão, que substituiu a produção 'Rainha da Altura', que foi desclassificada da seleção. Para ele, a iniciativa da Secult surgiu num momento em que o audiovisual em Sergipe vem ganhando força.

"O edital foi um grande incentivo para que os produtores pudessem viabilizar suas produções de forma mais profissional", afirma André. Ele explica que para a sua produção mobilizou uma equipe de diversos profissionais, que inclui mais de 50 figurantes. As filmagens do documentário mesclado com cenas de ficção sobre a história do 'Hotel Palace' seguem até o início de agosto e a previsão é que seja lançado no final de setembro.

Ainda no mês de setembro deverá ocorrer o lançamento do curta ‘Tudo Vai Ficar Bem’, de produção de Cláudio Pereira. 'Tudo vai ficar bem’, é uma produção que conta a história de um rapaz chamado Pedro, que está deprimido após a morte do seu companheiro Guilherme. Para superar a dor, Pedro volta para a casa do seu pai, um homem emblemático que se mostra disposto a ajudá-lo.

Incentivo

O projeto Edital de Apoio à Produção de Obras Audiovisuais Digitais de Curta Metragem (Edital Orlando Vieira) foi lançado em 2011 dentro de um projeto grandioso da Secult para homenagear o ator Orlando Vieira. A partir dessa iniciativa é possível perceber a satisfação dos produtores e o desejo de que o edital ganhe outras edições.

“A Secult está no caminho certo, nós precisamos é disso mesmo, de estímulo, de incentivo, de apoio, porque bons artistas nós temos, mas faltava incentivo. Espero que o edital se mantenha, porque é um projeto de suma importância para a promoção dos nossos artistas, na dança, na cultura, no teatro, enfim, todos os artistas sergipanos. A Secult está de parabéns”, destacou a produtora Jade Leonardo.

“Bom, eu resumiria dizendo que o edital Orlando Vieira é o primeiro passo, o empurrão para a carreira cinematográfica de quem produz audiovisual. No meu caso, se não fosse o projeto da Secult, eu não estaria dando esses passos. Estou produzindo esse curta com investimento do edital e já pensando em um longa mais na frente. Se não fosse essa oportunidade, não teria como ultrapassar essa primeira etapa”, resumiu Raphael.

Para a secretária da Cultura, Eloísa Galdino, o Edital Orlando Vieira é uma ação inicial  do macro projeto Orlando Vieira, lançado em outubro de 2011 e que quis, acima de tudo, incentivar o trabalho dos realizadores em Sergipe. "Nós elaboramos o edital discutindo pontos importantes e as sugestões dos realizadores. Agora, os curtas já estão sendo finalizados e serão lançados para que todo o público possa ver. Acredito que os trabalhos cestão ficando muito bons e estamos todos muito ansiosos pelos lançamentos”, enfatizou a secretária.

Fonte: Ascom Secult

Comentários