Forró Caju: PMA estima liberação dos recursos a partir do dia 30

0
O secretário diz não garantir um prazo fixo para o pagamento dos músicos, mas acredita ser provável que o repasse ocorra a partir do dia 30 deste mês. (Foto: Márcio Garcez)

Representantes da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) e do Sindicato dos Músicos de Sergipe (Sindmuse) estiveram em reunião na tarde desta quarta-feira, 21, na sede da prefeitura, para definir os caminhos finais sobre o recebimento do repasse do Ministério da Cultura (Minc) para o pagamento dos músicos que tocaram no Forró Caju, em junho deste ano. A previsão é que o repasse do Minc possa acontecer a partir do dia 30 desde mês, segundo o secretário de comunicação, Luciano Correia.

O presidente do Sindmuse, Tonico Saraiva, avaliou como positivo o encontro. Segundo ele, a partir de agora o sindicato terá mais transparência para analisar o que de fato vem sendo solicitado pelo Minc para que o repasse possa acontecer o quanto antes. “O que nós tínhamos proposto era que nossos técnicos pudessem analisar todas as documentações referentes as diligências exigidas pelo Ministério da Cultura”, resume. Para Tonico, o que está causando a demora do recebimento é o jogo de “empurra-empurra” que vem sendo praticado. “O Ministério da Cultura diz que a prefeitura está errada; a prefeitura diz que o erro é do Minc. Temos que entender o que está acontecendo”, diz.

Tonico Saraiva, presidente do Sindmuse (Foto: Portal Infonet)

Ainda de acordo com Tonico, ficou acordado que a prefeitura irá disponibilizar toda documentação necessária para que os técnicos do Sindmuse possa ter uma outra avaliação das exigências que foram solicitadas pelo Minc. “Ficou combinado com o Secretário de Comunicação o repasse de toda essa documentação para que nós possamos fazer análise”, diz.”Queremos entender o que o Ministério está pedindo à prefeitura e o que a prefeitura respondeu”, acrescenta.

O Secretário de Comunicação Social, afirmou que a prefeitura sempre esteve aberta ao diálogo e a solicitação dos músicos foi atendida para comprovar toda a transparência com a qual o governo vem tratando essa questão. “Eu dialoguei desde o primeiro dia”, diz. Luciano também explica que as sete diligências exigidas pelo Minc foram respondidas com sucesso em maio deste ano. “A gente não se negou a responder. Nós não falhamos em nada. Tudo que nós fizemos foi transparente”, destaca. Para ele, tudo o que a prefeitura poderia fazer já foi feito. “Agora eu só posso esperar o repasse”, avalia Luciano.

por João Paulo Schneider  e Yago de Andrade

Comentários