Galeria J.Inácio reabre com exposição coletiva Mulher Infinito

0
Galeria de Arte J. Inácio reabrirá, na próxima quarta-feira, 3, às 10h com a exposição coletiva. (Foto: Ascom/Funcap)

Após um ano e meio com as portas fechadas, a Galeria de Arte J. Inácio reabrirá, na próxima quarta-feira, 3, às 10h, com exposição coletiva assinada pelas artistas plásticas Mônica Flávia e Judie Canez e a fotógrafa Pritty Reis. A coletiva, intitulada Mulher Infinito, inicia a programação temática da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap) para o mês da mulher.

Criada pelo Governo do Estado em 1981, a Galeria de Arte J. Inácio tem sua história marcada por diversas ações culturais, com destaque para lançamentos de livros, catálogos culturais e mais de uma centena de exposições – individuais e coletivas. Seu nome homenageia um dos mais importantes artistas plásticos sergipano: José Inácio Alves de Oliveira, o J. Inácio – artista nascido na cidade de Arauá, em 1911 e falecido em Aracaju, em 2007, aos 96 anos. Suas obras destacam elementos da cultura nordestina, a exemplo de bananeiras, casas de farinha, praias e casarios realizadas com traços e cores fortes e vibrantes.

A presidente da Funcap, Conceição Vieira, tem manifestado felicidade com o momento especial da produção cultural no estado. Sobre a reinauguração da J. Inácio, a presidente destaca a exposição inaugural desta nova fase da galeria: “estamos em um período de alegria muito grande, sabemos que todos os dias são dias de se referenciar a força da mulher em nossa sociedade, mas durante o mês de março há essa referência maior ao papel da mulher na família e na sociedade. Estamos felizes porque a reabertura da nossa galeria Inácio se dá exatamente inspirada nessa energia feminina, então é com muita alegria no coração que a gente reabre a casa de um gênio da arte plástica em nosso querido estado de Sergipe, que era o nosso querido Inácio. Sua casa está sendo reaberta numa exposição coletiva elevando, dando destaque à arte, à beleza e à identificação do jeito de ser sergipano através da força e da criatividade da mulher”, afirmou a presidente.

A exposição

Os trabalhos de Mônica Flávia, Judie Canez e Pritty Reis provocam reflexões sobre o corpo e a existência feminina. A primeira apresentará a exposição “Eu sou uma mulher livre”, Judie Canez com o título “Corpo e Natureza” e Pritty com o trabalho “Corpositivo”. As expositoras, assim como a cantora Verlayne Caliere, que se apresentará na reinauguração da J.inácio, foram contempladas através da Lei Aldir Blanc (LAB), via recursos da Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal , com a realização do Governo do Estado de Sergipe, através dos editais promovidos pela Funcap.

Fonte: Ascom/Funcap
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais