Grupo Renantique trará músicas renascentistas ao Quinta Instrumental

0
O evento acontece todas às quintas-feiras, às 20h, no Centro Cultural da capital, localizado na praça General Valadão (Foto: Alysson Prado)

O Quinta Instrumental desta semana traz de volta ao palco do Teatro João Costa mais um grande talento de Sergipe. Criado em 1996, Renantique é um dos poucos grupos musicais do Brasil, e único no estado, que executa músicas no estilo renascentista. Nesta quinta-feira, 13, a banda se apresenta em mais uma edição do projeto, que foi desenvolvido pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), criado com a intenção de abordar as diversas linguagens de artes. O evento acontece todas às quintas-feiras, às 20h, no Centro Cultural da capital, localizado na praça General Valadão.

Com 22 anos de pioneirismo em pesquisas e execução da música medieval renascentista, o Renantique tem como objetivo, tornar as músicas renascentistas e medievais mais acessíveis. Para esta edição do Quinta Instrumental, o grupo traz o programa ‘Do Medievo ao Nordeste Armorial’, um passeio pela produção da música instrumental da Idade Média, Renascença, Barroco, chegando ao Brasil Colonial e Imperial e encerrando todo esse trajeto com a música armorial, momento ímpar que somente o Nordeste Brasileiro tem.

Formado por Alexandre Azevedo (viola de arame, flautas-doce, cornamusa, cromornos, saltério de dedo e percussão), Adolfo Nuñez (rabeca medieval e viola de gamba), Dian Lucas (flautas-doce, saltério de dedo e percussão) e Emmanuel Serra (alaúde renascentista, violas de gamba, viela de arco, flautas-doce, mandolina e direção artística), o tradicional ‘Conjunto de Música Antiga Renantique’ promete um show emocionante no Quinta Instrumental, onde todas as belezas dos seus instrumentos serão mostradas e apreciadas.

O músico e diretor artístico, Emmanuel Serra, comenta o retorno do Renantique ao Quinta Instrumental. “Desde o ano passado, quando fomos contemplados no edital para participar deste projeto, ele se tornou muito importante e especial para o grupo, pois nos direciona a apresentar um repertório exclusivamente instrumental em um espaço muito bem preparado e equipado para isso. É uma grande oportunidade para nós e para os outros grupos do estado que se dedicam à música instrumental”, avalia.

Fonte: Funcaju

Comentários