Laranjeiras inaugura Bureaux de Informações Turísticas

0

Espaço foi inaugurado pelo governador em exercício Jackson Barreto (Fotos: Divulgação)
Em noite de muita festa, a Prefeitura de Laranjeiras inaugurou na quinta-feira, 14, o Bureaux de Informações Turísticas Edmunda Linhares, que passa a funcionar no antigo prédio da padaria Barroso. O projeto, criado no final da gestão do então prefeito José Monteiro sobral, em 1996, foi reativado pela Prefeita Maria Ione Macedo sobral e hoje é uma realidade.

Após a restauração, o prédio passa a abrigar, além do Bureuax de Informação Turísticas, as secretarias de Cultura e Turismo. O espaço vai abrigar também a Galeria de Artes Horácio Hora, para exposição de artistas locais e de outras regiões, espaço para apresentação de grupos folclóricos, exposição do acervo evidenciado pela escavação arqueológica, que contou com a participação de docentes e discentes do núcleo de arqueologia da Universidade Federal de Sergipe e auditório, para a recepção turística, exibições áudio-visuais, palestras, conferências e etc.

Além do Beraux o prédio vai abrigar secretarias e Cultura e Turismo

Outra grande conquista para o desenvolvimento da cultura de Laranjeiras é a aprovação e cumprimento da “Lei Mestre dos Mestres”, que proporciona aos mestres da cultura popular laranjeirense mais qualidade de vida e estrutura para manter as tradições folclóricas nas quais estão inseridos. Na noite de ontem, quatro deles receberam os certificados, da prefeitura de Laranjeiras, em reconhecimento aos serviços prestados; “Zé Rolinha”, mestre Sales, mestre Deca e o artesão “Demar”. Além disso, cada um deles vai receber um benefício vitalício no valor de dois salários mínimos.

Ainda de acordo com o que prevê a “Lei dos Mestres”, dois grupos folclóricos vão receber por ano o valor de R$ 5.400,00 para investimentos na tradição cultural. Os primeiros beneficiados são o Samba de Pareia, da Mussuca e o Cacumbi. “Este é um avanço para o desenvolvimento da Cultura de Laranjeiras e mais um sonho realizado pela atual administração. Os grandes fazedores da cultura local, hoje estão sendo reconhecidos e agraciados”, destacou a prefeita Ione Sobral.  

Para a prefeita Ione Sobral, o atual momento vivido pelo município merece muita comemoração por parte dos moradores. “Nossa cidade respira desenvolvimento e qualidade de vida, graças aos investimentos públicos, de todas as esferas governamentais, que já foram realizados e que estão em andamento. São obras de infraestrutura e programas sociais que levam mais cidadania e perspectiva de vida para toda a população”, afirmou a prefeita, que aproveitou o momento para prestar uma homenagem póstuma a Edmunda Linhares .

O secretário municipal de Cultura, Irineu Fontes também descreve a importância do espaço para o desenvolvimento de Laranjeiras e os benefícios proporcionados pela ‘Lei dos Mestres’. “Este é um momento histórico para nossa cidade e digo que é o reconhecimento definitivo da importância que a cultura e o turismo cultural têm e terá para a economia sustentável da nossa gente. Além disso, este é mais um sonho realizado, já que os diversos mestres da cultura popular também estão sendo agraciados”, disse o secretario.

O governador em exercício, Jackson Barreto, também esteve no município de Laranjeiras para participar da solenidade de inauguração do Bureaux de Informações Turísticas Edmunda Lobão Linhares. Segundo Jackson, este é um ponto importante em uma cidade que é pólo cultural. “Fico feliz de ter participado desta inauguração de extrema importância para a cultura de Laranjeiras e de Sergipe. Esta cidade é um polo cultural de referência e precisa de centros como estes para fortificar a cultura local e o turismo”, afirmou o governador em exercício.

A História do prédio

O prédio era a Padaria Barroso, a última referência de ocupação do espaço, cuja história, certamente, é parte do sítio histórico, que é a cidade de Laranjeiras. A história da casa é mais antiga, precisa e será feita uma incursão nas fontes documentais do arquivo do judiciário para se estabelecer elos com os objetos da cultura material evidenciados pela escavação que demonstra fragmentos de utensílios de uso doméstico do século XIX.

Após essa camada, a memória coletiva foi lembrando os usos do prédio como bumba (fabricação artesanal de cachaça), fábrica de fumo, e, enfim, a Padaria Barroso. Seu aspecto arquitetônico é indefinido, provavelmente das constantes alterações na fachada e no interior.

Fonte: Ascom/Prefeitura

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais