Maestro Trefzger participa da Série Sons da Catedral

0

Helder Trefzger (Foto: ORSSE)

Na próxima quinta-feira, dia 21 de junho, às 19h, a Catedral Metropolitana de Aracaju receberá a Orquestra Sinfônica de Sergipe, sob a regência do maestro convidado Helder Trefzger. Será um momento especial para a sociedade sergipana, pois, para esta segunda edição da série "Sons da Catedral", o grupo apresentará, de forma inédita, o "Bolero", do compositor francês Maurice Ravel. Completam o programa obras de Nielsen, Dvorak e Berlioz. A entrada é franca, e o concerto possui o apoio da Paróquia Nossa Senhora da Conceição e da Arquidiocese de Aracaju.

Com a realização da Secretaria de Estado da Cultura, sob a direção artística de Guilherme Mannis,e patrocínio do Banese e Instituto Banese, a Orquestra Sinfônica de Sergipe vem diversificando sua atuação e marca presença no cotidiano do público sergipano, trazendo novidades como este concerto, com músicas executadas pela primeira vez no Estado de Sergipe. "Ampliamos o repertório da orquestra e trazemos ao nosso público um número cada vez maior de composições, para que todos tenham a oportunidade de permanecer cada vez mais em contato com repertórios das mais variadas épocas e estilos", ressalta Mannis.

O Bolero

Composto em 1928 como uma peça musical de um único movimento e com inspiração espanhola, o Boléro, do compositor francês Maurice Ravel (1875-1937) é uma das obras clássicas mais famosas, tanto por sua conhecida melodia, por diversas vezes repetida, quanto pelo caráter da obra: uma aula de orquestração. Diferentes timbres da orquestra são utilizados de forma crescente, conferindo à obra um brilho peculiar. O próprio compositor ficou perplexo com a enorme aceitação do Boléro, que rapidamente tornou-se uma das peças mais apresentadas e gravadas da história da música.

Sobre o maestro: Atual diretor artístico e maestro titular da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, o maestro HELDER TREFZGER estudou em algumas das principais universidades brasileiras, como a UFRJ, a UFMG e a UnB e teve aulas complementares com professores de renomadas instituições de ensino musical, como o Conservatório de Moscou, a Manhattan School of Music, e a Arts Academy – Istituzione Sinfonica di Roma. É Mestre em Música (Regência – Práticas Interpretativas) e Bacharel em Música – Regência.

Teve como principais professores o maestro e compositor Cláudio Santoro, além dos maestros David Machado, de quem foi assistente e Roberto Duarte. Outros professores importantes na sua formação musical foram: Gerald Kegelmann, Igor Bezrodny, Francesco La Vecchia, Ivan Kojuharov, Oleh Krysa, Ernani Aguiar, Emilio de Cesar, Oiliam Lanna, Alberto Jaffé e Edson Queiroz de Andrade.

Já dirigiu, como maestro convidado, algumas das principais orquestras brasileiras, como a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e as orquestras sinfônicas de Porto Alegre, Minas Gerais, Sergipe, Mato Grosso, Brasília e Paraíba, além da Orquestra Sinfônica da UFRJ e da Orquestra Filarmônica Nova (MG), dentre outras. Dirigiu ainda a Orquestra Artave (Portugal), a Sinfônica Nacional da Bolívia, a New World Young Orchestra (Brasil, Itália e Bulgária) e a Orquestra Sinfônica de Bourgas (Bulgária). Em Portugal realizou um concerto com a Orquestra Filarmonia de Gaia, na cidade do Porto e, na Itália, dirigiu duas apresentações à frente da Orchestra Sinfonica di Roma, no Auditório della Conciliazione (Vaticano).

Gravou, com a Orquestra Filarmônica do Estado do Espírito Santo, a trilha sonora do filme Lamarca, de Sérgio Rezende, música de David Tygel e o CD "Melodiário", com músicas do compositor Jaceguay Lins.

Recebeu o Título de Cidadão Vitoriense, outorgado pela Câmara Municipal de Vitória em 2001 e o Título de Cidadão Espírito-Santense, concedido pela Assembléia Legislativa em 2004 além de diversas comendas, medalhas de mérito cultural, votos de congratulações e honra ao mérito.

É membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e da Academia de Letras e Música do Brasil – ALMUB, onde ocupa a cadeira de número 10, com a patronímica de Carlos Gomes.

Ficha técnica:
Orquestra Sinfônica de Sergipe
Sons da Catedral II
Regência: Helder Trefzger
Entrada Franca.
Hector BERLIOZ
Abertura Carnaval Romano
Carl NIELSEN
Abertura Helios, op.17
Antonin DVORAK
Suíte Tcheca
Maurice RAVEL
Bolero

Fonte: ORSSE

Comentários