Obras literárias contempladas em edital são lançadas

0

A secretária e os escritores contemplados (Foto: Ascom Secult)

A noite desta terça-feira, 7, foi muito especial para cinco escritores sergipanos. Isso porque eles tiveram seus livros publicados através do 1° Edital de Obras Literárias, projeto da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em parceria com o Banco do Estado de Sergipe (Banese) e Empresa Pública de Serviços Gráficos de Sergipe (Segrase), através da Editora Diário Oficial.

O lançamento, que ocorreu no Museu da Gente Sergipana, contou com a presença de inúmeras autoridades e amigos, que fizeram questão de prestigiar esses novos talentos da literatura do Estado. A secretária de Estado da Cultura, Eloísa Galdino, participou da solenidade e garantiu que o lançamento destes livros através do Edital de Obras Literárias é mais uma ação de integração do Governo de Sergipe.

Segundo a gestora, a política de editais é a forma mais transparente para as ações cheguem aos agentes de cultura. “Através deste edital e do estímulo e fomento do Governo de Sergipe, estes autores que escrevem suas obras e que até então não tinham formas para publicá-las, encontraram uma alternativa para que todos conheçam seu trabalho. Por isso para nós é uma satisfação muito grande entregar esses livros e saber que a literatura sergipana vai chegar a muitos lugares do nosso estado e até do país, mostrando o valor e qualidade do texto literário de Sergipe”, destacou.

O presidente do Banese, Saumínio Nascimento também compareceu ao evento e falou em poucas palavras a satisfação que o Banco tem, em contribuir mais uma vez para o engrandecimento da política de cultura de Sergipe. “É muito bom para nós do Banese entregar esses livros nesta casa que é a casa do povo sergipano e mostrando a integração que existe no Governo, afinal este é mais um trabalho realizado em conjunto entre Segrase, Secult e Banese. A expectativa é que no futuro estejamos entregando muito mais obras através de outras edições deste importante edital”, observou.

O presidente da Segrase, Jorge Carvalho, por sua vez, falou em seu discurso sobre a importância dessas publicações para a Editora Diário Oficial e ressaltou a importância do Edital para a literatura sergipana. “Esta é a primeira grande publicação da Editora Diário Oficial e um momento muito importante para nós. É também uma ação que aqui se inicia e esperamos que nos anos que se sucedem possamos dar continuidade a este trabalho, consagrando novos autores através desta parceria tão produtiva e importante para a cultura em Sergipe”, disse.

Além do lançamento dos livros, a ocasião foi marcada também pela entrega de uma réplica do diploma do Patrimônio Cultural da Humanidade concedido à Praça São Francisco, em São Cristóvão, ao presidente do Banese, Saumínio Nascimento, para que fosse incorporado ao acervo daquele museu. “Nada mais justo que essa conquista do povo sergipano estivesse presente neste museu, que celebra a diversidade da nossa cultura”, frisou Eloísa.

Felicidade estampada

Os cinco escritores que viam seus livros sendo lançados, estavam radiantes em apresentar suas obras e ver seu trabalho reconhecido para todo o Estado. Era visível a sensação de dever cumprido e a satisfação de ver as obras sendo vendidas e posteriormente autografadas. “É uma honra para nós estarmos aqui, trazendo essas obras para o público do nosso estado. Obras essas que foram aprovadas em um concurso e também pela Academia Sergipana de Letras. Esperamos que gostem e que se deliciem com essas palavras. Queremos também que nossos livros agreguem mais valor a nossa terra”, discursou o escritor Antônio Francisco de Jesus, autor da Crônica ‘Minha querida Aracaju aflita’.

O escritor Ribeiro Neto, era um dos mais satisfeitos. Para ele, o momento é de grande comemoração. “Este edital foi uma iniciativa excelente, que possibilita que os autores novos possam se lançar de forma prestigiada e facilitada pela Secretaria da Cultura. Uma oportunidade ímpar para revelar os novos talentos de Sergipe”, argumentou o autor do romance ‘Limniscota’.

Ronaldo Pereira, escritor do livro ‘Laura’, vencedor na categoria Infanto-juvenil concorda com a opinião do colega, e lembrou que a publicação deste livro promove uma ponte entre autores e o público sergipano. “Esse edital é um projeto que traz um incentivo muito importante para o movimento literário, pois quando o autor tem a oportunidade de participar de concursos dessa natureza e vence, ele tem o poder de ser projetado não só a nível estadual, mas também para todo o país”, acentuou.

Outro autor que estava empolgado era Ivilmar Gonçalves. Ele que foi vencedor na categoria Poesia, com a obra ‘Caderno de Exercícios’, seu primeiro livro, definiu a emoção, como a de ser pai. "Este é meu primeiro livro, um primeiro filho. Ele tem aquilo que queremos dizer e que não fica mais só para mim, agora é propriedade do público”, analisou. Ivilmar comentou ainda que o edital deve ser mantido, pois é muito importante para a literatura sergipana. “Publicar livros é difícil em qualquer lugar, por isso é importante que o Governo mantenha este edital”, ressaltou.

O escritor Avelar Araújo, vencedor da categoria técnico-científico, com a obra ‘Terra Xocó: um espaço com expressão de um povo’, também é um gos admiradores da iniciativa do edital. Para ele, o ponto principal é a grande variedade de temas contemplados pelo projeto. “Várias categorias literárias tiveram vez neste projeto. do romance às publicações científicas, e isso é muito bom, pois abre um leque de possibilidade maior ainda para que os escritores possam se candidatar”, argumentou.

Sobre o edital
O edital é uma ação que premiou e garantiu o apoio para o lançamento e publicação de obras, além do incentivo a circulação e formação de novos leitores, propondo para Sergipe uma nova política cultural no âmbito do editorial.
A ideia do projeto começou a se tornar realidade no dia 09 fevereiro de 2010, quando a Secult assinou um Termo de Cooperação Técnica entre a Empresa de Serviços Gráficos de Sergipe (Segrase) e o Banco do Estado de Sergipe (Banese), visando a implementação de uma série de ações estratégicas e de políticas integradas para o desenvolvimento da cadeia produtiva do livro e da leitura.

A primeira ação foi a realização do Edital para a publicação de livros com relevante contribuição cultural, nas categorias Poesia (Prêmio Santo Souza), Conto (Prêmio Núbia Marques), Crônica (Prêmio Mário Cabral), Literatura Infanto-Juvenil (Prêmio Alina Paim) e Livros Técnico Científicos (Prêmio João Ribeiro). Porém na categoria Conto, não houve premiado.

Os livros vencedores ganharam uma tiragem de 1000 exemplares, além da revisão textual; diagramação do miolo, criação e produção de capa; registro do código ISBN junto à Fundação Biblioteca Nacional; definição do preço de capa e distribuição institucional.

Fonte: Ascom Secult

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais