Show de 15 anos da Aperipê encantou o público

0

Público lotou a área do Parque da Sementeira para os shows (Fotos: Crivo/Aperipê)
Para marcar os 15 anos da rádio Aperipê FM 104,9 completados no dia 12 de dezembro, a Fundação Aperipê (Fundap) promoveu uma série de eventos desde o início do mês. Foram vários shows, edições especiais de programas da emissora, além de uma rodada de palestras e oficinas de capacitação voltadas ao mercado da música. Esta, que foi o principal componente de todas as comemorações, não poderia deixar de ser a grande estrela no show que encerrou a programação de aniversário no último sábado, 18, no Parque da Sementeira em Aracaju.

A festa foi em homenagem à Aperipê FM 104,9, mas o presente quem recebeu foi o público que compareceu ao parque, e teve o privilégio de curtir os shows de Café Pequeno, Cabedal, Lacertae, Edelson Pantera, The Baggios, Cobra Verde, Patrícia Polayne e Mundo Livre S/A. A Aperipê FM recebeu os parabéns de centenas de pessoas, em uma festa à altura do trabalho realizado pela rádio, principalmente, nos últimos quatro anos.

Sob o comando de dois apresentadores da FM, o rapper Hot Black (Império Periférico) e o DJ Kaska (Global Beats), a festa não poderia ser em outro local mais apropriado. Como nas outras edições, o Parque da Sementeira proporcionou ao público a paisagem ideal para o espírito democrático do evento, que reuniu diferentes estilos e gerações no mesmo palco. Grupos de amigos, casais, famílias inteiras e outros tantos grupos reuniram-se no gramado do parque para participar dessa festa que já está no calendário da cidade.

No encontro de gerações, a experiência de mais de 20 anos de carreira da banda Lacertae esteve em contato com o ainda recente trabalho dos rapazes da Cabedal que tem se destacado no mercado. “É a primeira vez que toco aqui no aniversário da Aperipê, e também a primeira que toco na Sementeira. Eu passei minha adolescência vindo para a Sementeira tocar violão, tomar vinho e conversar com a galera no fim de tarde. E de repente, eu estou hoje aqui tocando com minha banda”, afirmou Alexandre Marreta, guitarrista da Cabedal. “A Aperipê é uma instituição que dá muito apoio à Cabedal. Deu apoio no lançamento do disco, quando a gente estava começando, no Festival Aperipê de Música, nos videoclipes. A Aperipê é uma parceira da Cabedal e é a maior satisfação estar tocando aqui hoje”, frisou o guitarrista.

Patrícia Polayne encantou o público com sua performance
Diversidade musical

As bandas da noite retribuíram à plateia toda a energia transmitida, mostrando ao público sergipano um repertório que se torna cada vez mais presente no cenário musical do estado. “Eu fico muito feliz de ter sido convidado pela Aperipê FM. É essa festa bonita, onde a gente pode tocar as músicas que a gente faz. Chega de consumir apenas o que vem de fora. Isso é Aracaju legitimando-se como cidade que também produz arte e música. Esse é o ponto mais importante, saber que tudo vai partir daqui, de agora, e que a gente vai cantar e mostrar o som que a gente faz”, comentou o cantor Edélson Pantera.

Para Júlio Andrade, vocalista da banda The Baggios, o aniversário da Aperipê é uma verdadeira janela para os artistas do estado. “Eu acho muito gratificante tocar em eventos de grande porte como esse, ainda mais em um aniversário que envolve grandes artistas sergipanos. Eu já vim ao aniversário como espectador, e agora estou como convidado, com a The Baggios. É uma grande oportunidade participar de uma festa assim, cheia de gente e em um lugar muito bonito. Sergipe é riquíssimo de bandas boas, e a ideia da Aperipê em reunir esses ritmos diferentes foi bem legal, até para atingir e agregar um público como esse, para que eles tenham conhecimento do que tem sido feito de música em Sergipe”, afirmou Júlio.

A banda pernambucana Mundo Livre S/A foi responsável por fechar a grande noite de aniversário dos 15 anos da Aperipê FM. O grupo – que ao lado de Chico Science & Nação Zumbi criou e consolidou o movimento manguebeat – não se apresentava em Sergipe há alguns anos, e mostrou ao público do Parque da Sementeira um show que comprovou o porquê de a banda ter sido a grande atração da festa.

“Fazia muito tempo que a gente não tocava aqui, e certamente esse foi show em Aracaju que a gente teve a melhor estrutura. E mais bacana por ser aberto ao público, gratuito, e com essa divulgação de uma rede pública. Com certeza, a melhor visita que a gente já fez a Aracaju na história. Foi um público novo que a gente pegou, e foi uma oportunidade de atrair e diversificar ainda mais o nosso trabalho”, observou o vocalista da Mundo Livre, Fred 04.

A cantora Patrícia Polayne – que também está debutando em 2010, completando os seus 15 anos de carreira – comentou o fato de mais uma vez participar dessa celebração. “É sempre uma emoção muito grande comemorar junto com a Aperipê essas conquistas. São quinze anos lutando para manter viva uma identidade musical aqui em Sergipe, além de tocar música do mundo inteiro. A festa está bem representada, com todos os ritmos dessa diversidade musical sergipana. Está sendo uma noite muito linda, muito mágica”, disse Polayne.

Reconhecimento do público

De acordo com a presidente da Fundap, Indira Amaral, o aniversário da Aperipê FM já está incorporado ao calendário da cidade. “Essa expectativa das pessoas se deve a uma relação muito íntima entre a rádio e uma parcela significativa da juventude, que está aberta a descobrir novos sons, a se identificar com a produção da sua terra e conhecer o que Sergipe produz de música sem prepotência ou restrição. São estilos que não são apenas os comerciais, que fazem parte da grande indústria da música. Tem espaço pra tudo, para a MPB, o nosso forró, música contemporânea e tradicional”, analisou.

Indira comentou ainda o papel da rádio pública na realização de um evento como esse, que divulga, promove e mostra à população o que é produzido dentro do estado. “A gente sabe que a música e a produção cultural vão muito mais além do que aquilo que está nos grandes negócios, que é bancado pelos grandes meios comerciais. E esse é o papel central da rádio pública, abrir um espaço para a diversidade de produção cultural que a gente tem no nosso estado, no Nordeste, no Brasil e no mundo. Porque até para afirmar o que é nosso, e para nos tornarmos conhecidos no mercado nacional e internacional, a gente tem que conhecer a diversidade que tem fora do nosso estado. E a Aperipê tem feito esse diálogo, tem propiciado essa relação sobre o que é produzido dentro e fora de Sergipe”, pontuou Indira.

Para a jornalista Janayna Amarante, que é espectadora cativa da festa, o evento já faz parte do contexto da música sergipana. “Vim para a primeira edição quando ninguém sabia, foi só o DJ Dolores e Ode ao Canalha. E hoje a Sementeira está assim cheia. Todo ano eu espero, assim que ele inicia eu já quero saber a data do aniversário da Aperipê. Eu acho muito legal, é uma festa que eu espero o ano todo”, comentou a jornalista. Em 2008, o show de aniversário ficou por conta de uma das maiores bandas brasileiras, a Mutantes, além das sergipanas Daysleepers (atual Nantes), Naurêa e Mariascombona.

Quem também prestigiou o aniversário da FM 104,9 foi o governador do estado, Marcelo Déda. Ele parabenizou a todos que participam da Aperipê pela realização do evento e deixou seu depoimento registrado em uma das mais populares redes sociais da internet, o Twitter: “Dei um forte abraço na Indira Amaral. Belíssimo trabalho de formação de público para a cena local. Papel da rádio pública.”

Assim como aconteceu com os comentários postados sobre o evento, o depoimento do governador pôde ser visto no telão montado ao lado do palco, onde foi projetada a página do Twitter da Aperipê que alternava com a exibição de fotos do público presente no Parque da Sementeira.“É a primeira vez que venho ao aniversário. Isso aqui parece o Woodstock de 69, é uma iniciativa interessantíssima. Ainda mais com a Mundo Livre S/A, uma banda de renome internacional. É um evento massa, que enaltece e é muito importante para a cultura sergipana”, disse o professor, músico e palhaço Rafael Menezes.

A aposentada Kelly Santos, que também compareceu pela primeira vez ao aniversário da rádio, aprovou a proposta do evento. “É uma festa que atinge vários públicos, onde várias pessoas podem ter acesso e curtir os shows. A seleção de bandas foi muito boa. Muitas das pessoas que estão aqui não têm acesso ou não conhecem a música sergipana, e aqui, aberto a todo mundo, isso pode ser possível”, disse.

Já para o estudante universitário Luís Paulo, que pela primeira vez pôde ver um show da Mundo Livre S/A, o evento já se tornou um marco no calendário musical sergipano. “Não é a primeira vez que venho à festa. É um show que reúne diversas tribos, é bem interessante”, afirmou Luís Paulo, parabenizando a Aperipê FM pela realização do evento. “Eu acho que, em se tratando de cultura, não tem nenhuma outra rádio que faça o que a Aperipê faz para o nosso estado”, finalizou.

Os shows foram transmitidos ao vivo para os ouvintes da aniversariante Aperipê FM 104,9. A rádio Aperipê AM 630 também marcou presença, transmitindo alguns momentos da cobertura do evento no Parque da Sementeira. Toda a programação pôde ser acompanhada também pela internet através do streaming das rádios no site da Fundação Aperipê.

O show de aniversário da Aperipê FM já deixa saudade, mas em breve o público poderá rever os melhores momentos do grande show. A equipe da Aperipê TV gravou todo o evento no Parque da Sementeira para um programa especial, que será apresentado dentro da programação de fim de ano.

A programação do aniversário de 15 anos da Aperipê FM contou com o patrocínio do Detran-SE, da Universidade Tiradentes (Unit), da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), da Prefeitura de Aracaju e da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom – SE), além do apoio da Petrobras e da Secretaria de Estado da Cultura (Secult – SE).

Fonte: Ascom/Aperipê

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais