SUBPAC mantém há três anos olhar atento sob o patrimônio

0

(Foto: Wilson Melo)

Neste mês de julho, a Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural (SUBPAC) completa três anos. Criada para potencializar a política patrimonial do Estado, a SUBPAC, vinculada à Secretaria de Estado da Casa Civil, realizou no período mais de 200 inspeções aos bens tombados e promoveu dezenas de ações de educação patrimonial.

“O governador Marcelo Déda fez na área de restauração de bens de valor histórico mais do que todos os outros governos juntos. Só nesses três anos de atuação da SUBPAC, foram restaurados oito bens, fora as obras do artista plástico Jenner Augusto”, avaliou o subsecretário de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural, Luiz Alberto.

O secretário-chefe da Casa Civil, Jorge Alberto, acrescentou que o governo Marcelo Déda já entrou para a história na política de preservação de seus bens culturais, não só pela conquista da chancela da Praça São Francisco em São Cristóvão, Patrimônio da Humanidade, como também, como o governo que mais investiu recursos para preservar a memória histórica e cultural do Estado.  No período, estima-se que foram investidos diretamente cerca de R$ 15 milhões, além de outros recursos investidos em obras de infra-estrutura realizadas em São Cristóvão.

Só a restauração do Palácio-Museu Olímpio Campos, que em três anos de existência recebeu mais de 60 mil visitantes, foram investidos cerca de R$ 7 milhões, entre obras físicas e de restauro de mobiliários e outras peças.  Recentemente, a Igreja da Comunidade Xokó, na Ilha de São Pedro, em Porto da Folha, recebeu atenção especial do Governo do Estado e foi restaurada, recebendo, inclusive, mobiliário completo ajustado ao monumento do século XIX tombada em 1984.

Competência – O subsecretário destacou que a SUBPAC participou das discussões e acompanhou de perto as obras de restauro dos bens, inspecionando e orientando sob a condução dos trabalhos executados. Foram restaurados entre 2009 e 2012 os seguintes monumentos: Palácio-Museu Olímpio Campos; Teatro Atheneu; Atheneuzinho (investimento do Banese); casarão da Ivo do Prado, onde hoje funciona a OAB;  o Cacique-chá (em fase de conclusão); a Igreja dos Xokó e as sete obras do artista plástico Jenner Augusto.

Luiz Alberto acrescentou que as inspeções e o olhar atento da subsecretaria estão por todo o Estado. No mês passado, por exemplo, equipe da SUBPAC esteve em Lagarto para ver as condições do prédio onde funcionou o Grupo Escolar Sílvio Romero, patrimônio do Estado desde outubro de 1995.  Ainda em junho, a subsecretaria enviou pessoal a Cristinápolis para discutir a preservação ambiental e histórico-cultural da Fonte dos Caboclos, monumento tombado em 1997.

Educação patrimonial –  A SUBPAC acredita que a preservação de um bem depende não apenas das ações de Governo, mas também,  da sociedade.  Educar para preservar é outro foco de atuação da SUBPAC que trabalha com dois projetos e prepara para lançar no mês que vem mais um. Atualmente, são aplicados os projetos de “Visitas Guiadas”, em São Cristóvão, e o Patrimônio em Concerto, em parceria com a Sergas, aplicado em todo o Estado. São realizados, ainda, seminários e cursos voltados para professores e a comunidade, como o curso ministrado até a semana passada pela coordenação de educação patrimonial da SUBPAC, em parceria com a secretaria Municipal de Educação de Aracaju.
Para equipe da SUBPAC, realizar um trabalho de conscientização patrimonial tem sido um desafio.

O Programa Patrimônio em Concerto, cujo Projeto intitula-se Músicas nas Igrejas e Museus, criado pela Diretora de Coordenadoria Sandra Sena em parceria com a SERGÁS, leva música e dança renascentista do Grupo Renantique a museus e bens culturais do Estado. Iniciado em 2009 o projeto já atingiu a um público de mais de 3 mil espectadores.
Já o Visitas Guiadas, idealizado pela coordenadora de Educação Patrimonial, Maira Ielena,  leva estudantes e moradores de São Cristóvão, por meio de associações comunitárias, a visitar monumentos da Praça São Francisco onde recebem orientações da importância em preservá-los.  Mais de 1,5 mil pessoas já participaram.  Está sendo formatado um projeto voltado para a comunidade de Laranjeiras.

Fonte: Ascom Casa Civil

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais