Violoncelista e pianista se apresentam hoje em Aracaju

0

Hoje, 14, às 21h, se apresentam na Sala Antônio Carlos Plech, na Biblioteca Pública Epiphânio Dória, a violoncelista Eleonora Fortunato e o pianista Nivaldo Tavares.

O espetáculo, que é gratuito, traz ao público um repertório com representativas partituras do estilo clássico. 

Os músicos: 

Eleonora Fortunato

Natural de Jundiaí (SP), iniciou seus estudos de Violoncelo aos cinco anos. Desde cedo participou de várias orquestras profissionais, sendo em 1990, spalla da Orquestra Sinfônica de Jundiaí. Também foi membro da Orquestra experimental de Repertório, Spalla da Camerata Philarmonia e professora da Escola de Música de Jundiaí. Eleonora Fortunato é bacharel em música, graduada pela Unicamp.

Ao mudar-se para o Rio de Janeiro, integrou durante cinco anos a Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e foi violoncelista da Camerata Solos e do grupo Música Nova (conjunto de música contemporânea). Esteve sob a orientação de Alceu de Almeida Reis. Através de concurso ingressou na Orquestra Petrobras Sinfônica, sendo membro da mesma desde 2002. 

Nivaldo Tavares

Natural do Rio de Janeiro, iniciou seus estudos musicais aos 13 anos de idade no Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro, com as professoras Marilda Dabul e Lícia Monteiro. A partir de 1984, deu prosseguimento aos seus estudos sob a orientação dos pianistas Linda Bustani, Antônio Guedes Barbosa e Silvio Merhy.

De 1995 a 1998, cursou o mais alto nível de performance como solista e camerista através do Artist Diploma Performance Program sob a orientação do pianista húngaro Tamás Ungár. Participou, também, de cursos de interpretação com os pianistas: Vladmir Feltman (1994); Christopher Elton, da Royal Academy of Music de Londres – (1996) e Paul Badura Skoda (1997).

De volta ao Brasil, venceu por unanimidade, em 2001, o Concurso de Piano Franz Liszt, do Teatro Municipal de Niterói, o que o levou a tocar como solista de várias orquestras. No decorrer de sua carreira obteve vários prêmios.

Comentários