Agência do BB é notificada e recorre de decisão

0

Agência do Banco do Brasil corre o risco de fechar as portas por seis meses (Fotos: Portal Infonet)

A Agência do Banco do Brasil localizada à Praça General Valadão já recebeu a notificação da Secretaria Municipal de Finanças dando conta de que deverá fechar as portas no próximo dia 28 por um período de seis meses, em função do desrespeito à Lei dos 15 minutos, de autoria da então vereadora Tânia Soares. A instituição entrou com uma ação no Tribunal de Justiça de Sergipe com pedido de tutela antecipada na 3ª Vara Cível.

A superintendente estadual do Banco do Brasil, Marília Prado de Lima, informou na tarde desta segunda-feira, 19, estar aguardando a decisão do Tribunal de Justiça. “Entramos com um recurso no Tribunal de Justiça de Sergipe, estamos trabalhando com todas as possibilidades e com isso elaboramos um plano de contingência no sentido de procurar atender aos clientes que se dirigem aos caixas”, ressalta Marília Prado acrescentando que atualmente são atendidas na agência do Banco do Brasil na Praça General Valadão, 700 clientes por dia.

Marília Prado, superintendente do BB em Sergipe

Ela destacou a redução no tempo de atendimento na agência do Banco do Brasil. “Nesta agência que está sendo objeto, já não existe uma performance de demora no atendimento. Para se ter uma idéia, passamos dos 40% de atendimento no prazo dos caixas, para 80%”, afirma lembrando que houve a contratação de 156 funcionários para o Estado de Sergipe, sendo 56 para a capital, o que está dando mais agilidade ao atendimento, além da abertura de mais três agências em 2012.

A superintendente do Banco do Brasil manifestou preocupação quanto ao possível fechamento da agência General Valadão. Isso porque a determinação pode fazer com que haja o descumprimento da Lei dos 15 minutos em outras agências, já que a demanda será maior.

“Em várias partes do país, a Lei é colocada em prática com cinco ocorrências de denúncias em seis meses ou em até um ano, mas aqui em Aracaju não existe prazo estabelecido. Nós tivemos duas denúncias este ano e estamos sendo punidos porque vem sendo levado em consideração desde a aprovação em 2007. Não está zerando, não é como carteira de motorista que zera os pontos, aqui vai acumulando, o que estamos muito preocupados com a demanda [700 pessoas/dia principalmente de pessoas carentes cujo atendimento é diretamente nos caixas] passar para outras agências, agravando o sistema de atendimento, sem contar que haverá redução significativa de uma agência em Aracaju”, lamenta Marília Prado de Lima.

A agência central da Caixa Econômica Federal de Sergipe também será notificada, mas a superintendência preferiu não se pronunciar sobre o assunto.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais