Aluguel tem a maior queda de preço em 9 anos

0

Os preços de aluguéis no Brasil estão se tornando cada vez mais atrativos para aqueles que ainda se sentem inseguros para investir em uma compra em pleno período de crise econômica no país.

Só no primeiro semestre deste ano a queda no valor dos imóveis foi de 1,78% segundo uma pesquisa realizada pelo FipeZap, o que pode significar boas negociações para aqueles que estejam procurando por preços acessíveis.

O recuo mais forte foi no Rio de Janeiro, apresentando um índice de queda de 3,59%, seguido de Belo Horizonte, com 3,02% e Porto Alegre com um recuo de 2,91%.  Apenas em são Paulo e Curitiba os preços tiveram uma queda menos vertiginosa, sendo de 0,85% e 0,10%, respecticamente. Podemos encontrar preços para essas regiões no site www.agenteimovel.com.br/imoveis/alugar/.

Este cenário se contrapõe ao observado no boom imobiliário, entre 2011 e 2013 onde, em apenas 4 meses, as vendas dos imóveis apresentavam altas de até 11,72% e, no mesmo período, o número de imóveis alugados crescia 5,11%, aponta este portal de notícias.

Segundo especialistas do mercado imobiliário, só de 2015 até o presente momento, a queda de preços de imóveis para venda e locação já caiu mais de 5,23%. Sendo que, se for levado em consideração o índice IPCA deste período – que foi de 8,84% – a queda ja atingiu o patamar dos 12,93%.

Das cidades analisadas pela pesquisa do FipeZap, as únicas que apresentaram aumento nos preços dos imóveis foram São Bernardo do Campo (1,46%), Santos (0,36%) e Recife (0,07%).

Os proprietários de imóveis esperam, com este novo panorama, uma rentabilidade anual média de aproximadamente 4,5%, sendo que os de Santos e Recife serão os únicos que receberão aluguéis maiores.Esse é o mais novo recorde de queda registrado na histórica do setor imobiliário que vem se alastrando desde 2008.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais