AmBev tem medidor de vazão homologado pela Receita Federal

0

A AmBev – Companhia de Bebidas das Américas – é a primeira cervejaria a trazer o medidor de vazão para Sergipe. O aparelho permite o controle do volume de cerveja produzido em cada linha fabril e envia as informações para a Receita Federal, coibindo a sonegação fiscal. A Filial Águas Claras do Norte, localizada em Estância, a cerca de 60 quilômetros de Aracaju, teve os equipamentos nas suas linhas de produção homologados ontem pela Receita Federal. O processo de homologação reuniu, além dos técnicos da Receita e da Companhia, Secretaria da Fazenda do Estado, InMetro e Universidade Federal de Santa Catarina.

Pioneira na instalação do medidor de vazão no Brasil, a AmBev sempre apoiou a adoção dos equipamentos como forma de coibir a evasão fiscal no setor. Com a homologação, em julho, do primeiro equipamento na fábrica de Jaguariúna da AmBev – no interior de São Paulo – todas as cervejarias com produção anual mínima de 5 milhões de litros terão de instalar medidores de vazão nas suas linhas de produção até janeiro de 2005.

“Os medidores de vazão representam um importante avanço para o setor cervejeiro”, avalia Ricardo Melo, gerente nacional de Tributos da AmBev. “Competir em condições de igualdade permite às empresas éticas investir cada vez mais em seus negócios e no país”, acrescenta.

A evasão fiscal no setor de cervejas já atinge R$ 720 milhões por ano no país. Este valor equivale a 15% do mercado brasileiro, volume de recursos que possibilitaria, por exemplo, a construção de 90 mil casas por ano, o pagamento pela educação de quase 1 milhão de alunos do ensino fundamental e a criação, a cada ano, de 650 mil novos empregos. Além de sangrar os cofres públicos, o concorrente desleal pode atingir margens até 250% superiores com a sonegação de impostos. Desta forma, pode baixar o preço de sua marca e investir em marketing, por exemplo, afetando a competitividade no setor.

“O combate à sonegação é uma medida indispensável para o aumento da arrecadação e para o desenvolvimento sustentado do país”, conclui Ricardo Melo. Maior arrecadadora de impostos do Brasil entre as empresas privadas, a Companhia recolheu, somente em 2003, aproximadamente R$ 7 bilhões em impostos e contribuições.

Com capacidade de produção anual de aproximadamente 4,2 milhões de hectolitros na unidade de Águas Claras do Norte, a AmBev investiu nos últimos três anos mais de R$ 23 milhões no Estado na modernização da planta de Estância. Construída em apenas 11 meses e inaugurada em novembro de 1997, esta fábrica é uma das mais modernas da AmBev e a segunda maior em capacidade instalada da região Nordeste. Produz hoje as cervejas Brahma, Skol, Antarctica e chopp Brahma, além de refrigerantes Brahma, Guaraná Antarctica e Pepsi.

Sobre a AmBev – A AmBev é a maior indústria privada do Brasil e a maior cervejaria da América Latina. Neste ano, a partir da aliança global com a InBev, tornou-se a maior operação cervejeira do mundo em volume. A associação proporcionou também a entrada da empresa na América do Norte, com a incorporação da canadense Labatt. Criada em 1999, com a associação das cervejarias Brahma e Antarctica, a AmBev é hoje líder no mercado brasileiro e referência mundial em gestão, crescimento e rentabilidade.

Comentários