Ambulantes cobram mais vagas no Forró Caju

0

Ambulantes na porta da Câmara de Vereadores (Fotos: Portal Infonet)

Vendedores ambulantes que visam comercializar durante o Forró Caju na área dos mercados municipais de Aracaju retornaram nesta quarta, 25, à Câmara Municipal de Aracaju para pedir apoio aos vereadores. Eles querem o mesmo espaço dos anos anteriores e a informação que estão recebendo é de que, com a “privatização da festa”, serão impedidos de vender bebidas e outros produtos.

Segundo a presidente da Associação de Vendedores Ambulantes e Usuários de Espaço Público de Sergipe, Maria Gilvânia dos Santos, o secretário de Comunicação da Prefeitura, Carlos Batalha garantiu uma coisa e o empresário Teo Santana estaria divulgando outra na imprensa.

Gilvânia: "A informação é de que serão disponibilizados apenas 80 vagas"

“O secretário Carlos Batalha disse que somente seriam privatizados os bares, camarotes e o palco e que não interferia nos ambulantes. Mas o que estamos ouvindo do próprio empresário Teo Santana em entrevistas, é de que vai disponibilizar 80 espaços para a Emsurb e assim mesmo para adereços como bala, pipoca, milho verde e os ambulantes principais do evento que vendem churrasquinho, capetas, isopor, diversos, estão fora”, lamenta.

“Estamos correndo atrás para recuperar os nossos espaços, a gente entende que o Forró Caju é do povo, participa desde o início e nessa edição estamos fora. O sorteio é de cerca de 240 vagas todos os anos, mas a gente sabe que existem convidados aumentando para 500 ambulantes e a diminuição para 80 vagas é muito grande. Viemos pedir apoio aos vereadores e esperamos que o prefeito volte atrás e revogue essa decisão, dando uma cota para esses ambulantes que precisam trabalhar”, completa.

PMA

O secretário Carlos Batalha informou que a Empresa Teo Santana Produções e Eventos venceu a licitação e adquiriu o direito de explorar camarotes e bares. “A atuação de ambulantes cadastrados pela Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) está assegurada. Eles continuarão podendo comercializar determinados tipos de alimentos, bem como bebidas em espaço previamente determinados no local da festa”, garante Batalha.

A sessão foi suspensa esta terça-feira na Câmara por conta do desabamento de parte do teto da Galeria e os ambulantes ficaram de retornar na próxima semana.

O Portal Infonet tentou contato telefônico com o empresário Teo Santana e não obteve êxito, mas continua à disposição pelo telefone (79) 2106-8000 ou pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais