Auditores entram em greve dia 25 de junho

0
Auditores deflagram greve dia 25 (Foto: Portal Infonet)

Paralisados, os auditores fiscais realizaram hoje mais um ato em frente ao Palácio dos Despachos.  Os servidores da Secretaria da Fazenda pedem abertura das negociações, para discutir o reajuste salarial e condições de trabalho. No próximo dia 25 de junho, haverá mais uma assembléia com indicativo de greve por tempo indeterminado. Já no dia 20 de junho, quinta-feira, os auditores farão outro ato no CEAC Aracaju.

Os cerca 600 servidores ativos reivindicam a incorporação da gratificação de produtividade, a lei Orgânica da Administração e reposição salarial. O presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais de Sergipe (Sindifisco), Abílio Castanheira, voltou a ressaltar que as reivindicações é um direito do servidor e garantiu que a greve será deflagrada no próximo dia 25 deste mês.

“Hoje nós estamos com três indicações, uma delas é que a gente luta para incorporar um a gratificação de produtividade ao nosso vencimento básico. Temos também a lei orgânica da administração tributária e por último, o direito constitucional do servidor público, que é o direito a reposição salarial”, disse

Sem avanços

Segundo Abílio, já houve uma reunião entre a categoria com representantes do governo, mas as negociações não avançaram. “Nós já protocolamos um pedido de audiência com o governador em exercício, Jackson Barreto, mas na conversa que tivemos com Oliveira Junior, não houve avanços. Hoje estamos aqui mobilizados e 100% dos servidores estão parados exceto aqueles que exercem cargos de confiança”, diz.

Abílio Castanheira

Sefaz

Em nota, a Secretaria da Fazenda informou que o secretário em exercício, Oliveira Júnior,  recebeu o Sindifisco para discutir a demanda. "A reunião foi conduzida de forma transparente no tocante ao entendimento da situação legal vivida pelo Estado diante da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e enxerga as entidades representativas dos servidores como parte integrante da interlocução com o Governo.

“O Governo não vai se furtar de receber os servidores e dialogar para avançar nos encaminhamentos demandados pelos sindicatos. Mas há de se ter a compreensão do momento para não agravar a situação”, disse o secretário.

No caso específico das demandas do Sindifisco, o secretário interino se colocou aberto para receber sugestões que auxiliem no avanço das discussões e ponderou sobre a necessidade de observância às questões legais. “Recebi os representantes do Sindifisco e externei a disposição do Governo em dialogar. Especificamente sobre a Loat e as incorporações solicitadas, expliquei que a partir do limite prudencial da LRF essa propositura, em uma avaliação preliminar, se contradiz com as determinações da LRF para a situação de infrigência do limite prudencia e pedi que o sindicato não adote as paralisações do serviço como estratégia reivindicatória, porque isso piora a situação reduzindo receita”, explicou. (Sic)

Por Eliene Andrade

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais