Avianca encerra atividade em Aracaju e trabalhadores se irritam

0
Avianca só opera em quatro aeroportos no Brasil (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A Avianca Brasil encerrou as atividades em Aracaju e já anunciou aos agentes de viagem que desativará o balcão de atendimento no aeroporto da capital sergipana. Por outro lado, os agentes de despachos emitiram nota pública, reclamando do descaso da companhia aérea com a classe trabalhadora e também com a clientela. O clima entre agentes de viagem e clientes continua tenso em consequência dos sucessivos cancelamentos dos voos.

No último comunicado, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informa que a empresa está operando apenas em quatro aeroportos brasileiros, desde a última segunda-feira, 29: Aeroporto de Brasília, no Distrito Federal, Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e no Aeroporto Internacional Dois de Julho, em Salvador, no Estado da Bahia.

Conforme a ANAC, a empresa enviou a nova malha aérea para temporada de voos vigentes, com programação que se estende até o mês de outubro deste ano. De acordo com a ANAC, a readequação da malha aérea da empresa é uma consequência da redução da frota de aeronaves disponíveis para operação, que seria uma consequência de processo “de recuperação judicial”.

Voos cancelados

No site oficial, a Avianca anunciou o cancelamento de todos os voos que teriam origem em Aracaju, previstos até o dia 8 do próximo mês. De acordo com o site, foram cancelados 19 voos, entre esta terça-feira, 30, até o dia 8 de maio. Na capital sergipana, os agentes de viagens estão enfrentando dificuldades para encontrar soluções para os passageiros que buscam novas acomodações em decorrência dos voos cancelados.

Segundo a agente de viagem Vivian Zulian, há passageiros que estão desistindo das viagens que programaram em decorrência desta situação da Avianca. Há passageiros que compraram passagens para São Paulo, nos dois trechos, indo e voltado, pelo valor de R$ 400. Mas agora, conforme a agente de viagem, estão com apenas a opção de reembolso total, ou em caso de seguir a viagem terão que adquirir um novo bilhete para retornar à capital sergipana, pagando algo em torno de R$ 1,5 mil [apenas o trecho do retorno], conforme informações da agente de viagem.

Revolta e insatisfação

Os agentes de despachos da Avianca enviaram uma carta aberta aos diretores da empresa, lamentando a falta de atenção com os clientes. O teor da carta foi compartilhado em grupos de WhatsApp e em redes sociais. No documento, os agentes de despachos falam dos sonhos, do início da carreira, elogiam a empresa no momento em que foram recepcionados no processo de admissão, mas, em contrapartida, não escondem a decepção e lamentam o descaso neste momento de crise.

“Hoje, a mesma Avianca que lá atrás nos recebeu tão bem, com suas boas vindas carregadas de sonhos e projeções de carreiras, é a mesma que nos trai todos os dias”, destaca trecho da carta aberta. “A mesma que hoje nos tira sonhos e esgota todas as nossas energias físicas e mentais, jogando em nossas mãos milhares de passageiros irritados, nervosos e inquietos por terem seus direitos violados pela falta de competência de alguém aí próximo aos senhores”, complementa.

Incentivos fiscais

O Governo do Estado de Sergipe está tentando suprir a lacuna, proporcionando incentivos fiscais a outras empresas, que poderão substituir a Avianca. De acordo com informações do secretário Sales Neto, de Comunicação Social, nesta quarta-feira, 1o, a Gol já está operando um voo direto, saindo de Aracaju para Brasília. A companhia também se comprometeu, segundo Sales Neto, a apresentar uma nova proposta para incluir outros voos ainda no mês de maio.

O governo também fez contato com a companhia aérea Azul. Segundo o secretário de comunicação, o Governo do Estado está aguardando a proposta desta outra empresa. Acredita-se, conforme Sales Neto, que a Azul também iniciará novos voos nos próximos dias, mas ainda não definiu datas. Nestes entendimentos, conforme o secretário, o Governo do Estado está reduzindo a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que sai do patamar de 18% atual para a casa dos 12% para os novos voos.

O Portal Infonet tentou ouvir a Avianca, mas não obteve êxito. O Portal Infonet permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

por Cassia Santana

Comentários