Banese e Banco do Nordeste continuam em greve

0

Caixa, Banco do Brasil e Bancos particulares retomam atividades (Fotos: Portal Infonet)

Apesar do acordo entre o Comando Nacional da Greve dos Bancários e a Federação Nacional de Bancos (Fenaban), que estipulou um reajuste de 9% nos salários e na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), além de aumento de 12% no piso da categoria, os servidores do Banco do Estado de Sergipe (Banese) e do Banco do Nordeste (BNB) votaram, por unanimidade, na permanência da greve em Sergipe. A assembléia geral da categoria aconteceu na noite desta segunda-feira, 17, na sede do Sindicato dos Bancários.

A Caixa, Banco do Brasil e os demais bancos particulares retomam suas atividades normais nesta terça-feira, 18. No acordo aceito pela categoria, os bancários deverão pagar os 21 dias de greve sem prejuízo financeiro. Os dias serão compensados através de hora extra, definida pelos servidores, sem imposição dos chefes, até o dia 15 de dezembro. Depois desta data, os bancários, cumprindo ou não o tempo de greve, ficará livre de qualquer obrigação.

Banesianos voltam para permanencia

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe, José Souza, os servidores da Caixa e do Banco do Brasil devem retornar as atividades de cabeça erguida. “A nossa luta foi consistente e a proposta satisfatório, claro que não foi a ideal, porém conseguimos chegar no nosso limite”, destacou dizendo que em relação ao BNB foi recomendação do Comando Nacional.

Banese

De acordo com o sindicalista, José Souza, o governador em exercício, Jackson Barreto, autorizou a presidência do Banese de enviar uma proposta satisfatória para a categoria, porém a ordem foi descumprida. Outro ponto destacado na assembléia foi que durante a paralisação de 2010, a instituição financeira se comprometeu de enviar até o 1º semestre de 2011 o edital para concurso do Banco e também não foi cumprida.

Segundo José Souza, a greve vai continuar forte e só retornará quando o Banese apresentar o plano de cargos e salários. “A luta pela política de cargos e salários do Banese já dura 20 anos, e a greve só acabará quando eles [Banese] derem prazo para implementação do projeto”, alertou frisando que o lucro do banco quase que dobrou em relação ao 1º semestre do ano passado.

Por Danilo Cardoso

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais