Boa safra diminui os preços dos alimentos

0
(Foto: Ascom Cohidro)

Com uma produção anual de aproximadamente 70 mil toneladas, em seis perímetros irrigados que juntos somam 12 mil hectares, o Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), irriga e presta assistência técnica a 1.821 famílias e beneficia diretamente 9.105 sergipanos que vivem da agricultura familiar. Mas os benefícios não param por aí. O trabalho da companhia também é decisivo para tornar a cesta básica de Aracaju a mais barata do Brasil.

A informação é confirmada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que realizou uma pesquisa em 17 capitais e constatou que, com um valor de R$ 181,01, a cesta básica de Aracaju foi a mais barata do mês de julho, seguida por João Pessoa (R$ 204,40) e Salvador (R$ 206,58).

“Em seus perímetros irrigados, a Cohidro ajuda a resolver um problema climático de Sergipe e do nordeste, oferecendo água durante todo o ano aos produtores. Isso reflete positivamente na cesta básica, pois a irrigação garante a produção e evita que a seca pressione os preços”, explica o economista do Dieese, Luiz Moura.

Segundo o economista, alguns fatores levam a uma cesta básica mais barata, entre eles o desempenho na agricultura. “A cesta é composta por 12 produtos, sendo a maior parte deles do gênero agrícola. Se o Estado tem um bom desempenho na agricultura certamente isso contribui para uma cesta básica mais barata. Quando a safra é boa, a tendência é cair o preço; quando a safra é ruim, a tendência é aumentar”, afirma o economista.

Para Luiz Moura, outro fator que dá a Aracaju o título é o de que a capital sergipana é bem servida de feiras livres, muitas delas abastecidas com produtos que saem diretamente dos perímetros irrigados da Cohidro.

“A pesquisa é feita em Aracaju e em nossa capital existem muitas feiras livres. Aqui elas até concorrem com os supermercados. Nas feiras acontece um fenômeno interessante: lá existe uma participação maior dos produtores sergipanos do que nos supermercados; a negociação é feita diretamente com eles e isso contribui, sim, para uma cesta mais barata”, explica o economista.

Para o especialista, com 70 mil toneladas de culturas variadas, a Cohidro fortalece a agricultura no Estado. “Quem estimula a produção agrícola em Sergipe não beneficia só o produtor, mas também o consumidor final. Uma empresa de irrigação em um Estado carente de recursos hídricos é de extrema importância para todos, por isso parabenizo a Cohidro pelo trabalho e torço para que sejam feitos cada vez mais investimentos na companhia”, concluiu Moura.

Novo estímulo

Satisfeito com as informações, o presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano comentou que a notícia é um novo estímulo para a empresa. “Contribuímos com quase todos os itens que compõem a cesta básica, entre eles o tomate, a cebola, a batata, as frutas e até o leite. É uma satisfação constatar que a Cohidro atua tão diretamente na economia do nosso Estado, sobretudo no preço da cesta básica. É um estímulo a mais para continuarmos trabalhando junto ao homem do campo no intuito de fortalecer a agricultura familiar”, declarou Bodano.

Fonte: Ascom Cohidro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais