“Câmara deve focar o consumidor”, diz presidente da Abras

0

Representantes de shopping, supermercados e demais instituições estiveram na coletiva
“A câmara deve fazer uma reflexão, não focando a questão trabalhista, e sim, o consumidor, que é o patrão de todos nós”. Foi este o comentário do presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Sussumu Honda, sobre o projeto de lei que prevê o fechamento do comércio aos domingos e feriados em Aracaju. Ele conversou com a imprensa sergipana na manhã desta terça, 25, via áudioconferência.

Na reunião, estavam presentes representantes dos shoppings e das maiores redes de supermercados que atuam na capital sergipana, além do presidente da Fecomércio, Hugo França, e o vice-presidente da Abras, Márcio Miller.

Retrocesso  

Para Sussumu, o comércio brasileiro é moderno e uma atitude como esta que pode ocorrer em Aracaju significaria um atraso, além de ser prejudicial ao consumidor. “Principalmente em tempos de crise, nos quais o consumismo está sendo mais incentivado”, completou.

Manoel Prado e Hugo França
Para fundamentar as palavras do presidente, o vice, Márcio Miller, apresentou dados sobre o movimento nos supermercados aos domingos. “Hoje, 73% da população faz compras aos domingos, sendo que esse dia já é considerado o segundo melhor dia de compras no setor”, cita.

Desemprego

A possível dispensa de empregados também foi utilizada como argumento pelos representantes que são absolutamente contra ao projeto. A Abras prevê que média de 20% dos funcionários de supermercados sejam dispensados se a lei entrar em vigor. “É bom lembrar que o trabalhador também é consumidor”, alerta Honda.

Se aprovado o projeto, o comércio de Aracaju será o único do Brasil que fechará aos domingos e feriados. Honda tem convicção de que a moda não deve pegar em outras cidades do Brasil. “Em São Paulo, por exemplo, a câmara é favorável à abertura, porque tem noção do poder do comércio. Hoje, a indústria está muito automatizada, quem mais emprega é o setor de vendas e serviços”,

Márcio Miller, vice-presidente da Abras
conta.

Ida à CMA

Os representantes saíram da reunião, realizada no prédio do Sesc, no São José, e foram à Câmara Municipal de Aracaju (CMA), na tentativa de convencer os parlamentares a repensarem o voto. “O momento deve ser de cautela. São 19 vereadores que vão decidir pela população de Sergipe”, opina Hugo França, presidente da Fecomércio.

Por Glauco Vinícius e Carla Sousa

Comentários