Credpovo ultrapassa R$ 3,4 milhões de financiamentos

0

Prestes a completar o primeiro ano de funcionamento, o Credpovo, programa de crédito lançado em 14 de agosto de 2003 pela Prefeitura Municipal de Aracaju, atingiu a soma de R$ 3.421.535,86 de financiamentos liberados em 1.112 operações realizadas nos setores formal e informal. Desenvolvido pelo município em parceria com o Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Caixa Econômica Federal, o programa é executado pela Fundação Municipal do Trabalho – Fundat. “Este é um número impressionante, sobretudo se analisarmos as operações realizadas e os empregos gerados, cerca de 1.600 novos”, declarou o presidente da Fundat, Edson Freire Caetano. “É uma grande contribuição da Prefeitura Municipal para a geração de emprego e renda que reflete na questão da cidadania e na melhoria da condição de vida da população. E também contribui para o aumento da arrecadação de impostos para o município, no caso dos setores formais”, continuou o presidente. Com diferentes linhas de crédito, o Credpovo atende desde micro e pequenos empresários do setor informal, até grandes empresas do setor formal. Desde a compra de computadores e motocicletas até a informatização de uma empresa inteira. Somente através do Banco do Nordeste (setor formal) foram realizadas 18 operações que alcançaram um valor de R$415.198,86. Através do Banco do Brasil (setores formal e informal) foram 332 operações, somando R$ 2.827,737. Financiamentos Populares Através do programa “Conta Caixa Aqui”, também operacionalizado pelo Credpovo, foram 501 transações de crédito concretizadas e R$ 100.200 liberados exclusivamente para o setor informal. Este é um sistema que funciona na forma de uma conta corrente individual movimentada por um cartão magnético que disponibiliza microcrédito para pessoas físicas de baixa renda. Inserido no Credpovo, este sistema de crédito é destinado ao público que atua na informalidade, como vendedores de amendoim, picolé, queijo, etc. Outro sistema que atende essa clientela específica, é o Banco Popular do Brasil. “Trata-se de uma subsidiária do Banco do Brasil voltada para o atendimento ao microempresário que nunca teve negócios em banco. É a chamada bancarização”, informou Edson Caetano. São financiados de R$50 a R$300, com um prazo de até 12 meses para o pagamento e taxa de juros de 2% ao mês. Com um detalhe a mais: “Se o pagamento foi efetuado em dia, o segundo financiamento pode dobrar de valor, podendo chegar a R$600”, contou o presidente. Com dois postos do Banco Popular em funcionamento, nas unidades da Fundat dos bairros Jardim Esperança e Suíssa, em apenas um mês a mais antiga delas (Jardim Esperança) chegou à marca de 261 operações, perfazendo um total de R$78.300. E de acordo com Edson Caetano mais um posto será inaugurado hoje, dia 3, no bairro Santos Dumont. “Em todas as unidades do Credpovo estarão presentes não só o Banco Popular como os outros sistemas de crédito”, disse. Nas semanas seguintes, as demais unidades da Fundat (Sede-centro, Santa Maria, Coroa do Meio e Porto Dantas) também deverão receber os postos de atendimento do Banco Popular.

Comentários