Dia Especial demonstra consórcio de feijão fortificado com o citros

0

Todos os 24 participantes são do município de Cristinápolis

Demonstrar o comportamento vegetativo do feijão fortificado da cultivar BRS Pontal em consórcio com citros safreiro, nas condições de clima e solo, esse foi o propósito do Dia Espacial sobre o uso de Feijão Fotificado BRS Pntal X Citros, promovido pela Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), no último dia 30, no Povoado Lagoa Nova, município de Cristinápolis.

O evento contou com as presenças de 24 pessoas entre técnicos e agricultores familiares da região e serviu para proporcionar uma maior observação dos resultados parciais obtidos unidade implantada pela Emdagro em 30 de junho de 2011, em execução conjunta com o Núcleo de Transferência de Tecnologias do CPATC-Embrapa. Na unidade de observação em tratamento está sendo conduzido 0,33 há. de feijão biofortificado da cultivar Pontal, cujos resultados vem apresentando uma acréscimo substancial no valor nutricional do feijão consumido, principalmente quanto aos teores de Ferro e Zinco.

Segundo o Coordenador de Pesquisa da Emdagro, Auro Andrade, a troca de experiências realizada permitiu a todos os participantes o enriquecimento e o aperfeiçoamento de conhecimentos quanto às boas práticas para o cultivo do feijoeiro, bem como a constatação da importância e da viabilidade do cultivo do feijão como agronegócio, tendo em vista a elevada aptidão de solo e clima apresentada pelo município, ainda que o mesmo se encontre fora do zoneamento agrícola delineado para a cultura.

As plantas apresentam produtividade acima da média mensal

O produtor responsável pela execução das práticas de manejo, Sr Adelvan, declarou-se admirado com o potencial produtivo do feijoeiro Pontal, e observou a resistência que a cultivar vem apresentando à incidência do Vírus do Mosaico Comum, se comparada à variedade por ele conduzida em área contígua, visivelmente mais afetada pela doença.

Foram facilitadores do evento os técnicos da Emdagro os Engenheiros Agrônomos Auro Andrade, Celso Queiroz, Neusa Lima, Elizabeth Denise, e o Eng. Agr° Ricardo, Professor do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Sergipe (IFS). Além dos te´cnicos da Emdagro e IFS, participaram anida 17 alunos da escola agrotécnica de Cristinápolis.

As Práticas

As práticas aplicadas foram aquelas preconizadas no sistema de produção estabelecido pela Embrapa, com especial atenção à indispensável calagem para correção da acidez e dos baixos teores de Cálcio e Magnésio, características comuns à maioria dos solos daquele município. A fertilização, por meio de calibração da mistura de elementos NPK totalmente em fundação, possibilitou manter boa nutrição para uma população elevada de plantas por ha., conferida pelo espaçamento utilizado de 0,5m entre linhas e 15 sementes por metro linear.

“As plantas apresentam individualmente números médios de 16 vagens em formação, com 8 grãos por vagem, apontando perspectiva de produtividade acima da média estadual”, demonstrou o Coordenador de Pesquisa da Emdagro, Auro Andrade, acrescentando que a intercalação nas entrelinhas de novos pomares de laranja apresenta, além do aspecto de agregação de renda, uma outra grande vantagem: a fixação biológica de nitrogênio atribuída a área cultivada, traduz-se em redução do emprego de nitrogênio mineral e da conseqüente emissão de óxido nitroso (um dos gases causadores do efeito estufa) a atmosfera.

Segundo o produtor Adelvan a melhor época de plantio situa-se na região entre os dias 20 e 30 de junho, evitando-se excessos de chuvas ou eventos de veranicos, que de uma ou outra forma comprometem o bom desenvolvimento da lavoura. “A fase lunar é fator de influência importante para o cultivo do feijoeiro, devendo-se implantá-lo nas luas nova ou na crescente”, explica.

Matéria e Fotos: Ascom Emdagro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais