Em fevereiro, IPCA de Aracaju cresce e é o maior desde 2020

0
O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40
salários mínimos, (Foto: arquivo/Agência Brasil)

Em fevereiro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) variou 1,05%, a maior variação desde janeiro de 2020. Essa variação representa 0,66% ponto percentual acima da taxa de janeiro (0,39%). Em relação a fevereiro de 2020 (0,66%), a taxa obtida em fevereiro de 2021 subiu 0,39% ponto percentual.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete tiveram alta em fevereiro na capital sergipana. A maior variação (5,97%) veio do grupo Educação, que possui o quinto maior peso mensal entre os grupos. A segunda maior variação (2,08%) veio dos Transportes, que possui o segundo maior peso mensal. O grupo Alimentação e bebidas, que possui o maior peso mensal, variou em -0,15%, causando o maior impacto negativo. Vestuário também apresentou recuo em sua taxa (-0,04%).

O grupo da Educação teve o maior aumento (5,97%) diante de janeiro de 2021, que foi impulsionado pelos
cursos regulares (7,38%). Já o grupo Alimentação e bebidas apresentou uma queda frente a janeiro de
2021 (0,39%), registrando -0,15% em fevereiro. Essa retração dos preços foi impulsionada por conta dos
tubérculos, raízes e legumes (-3,76%), frutas (-1,72%), assim como, dos leites e derivados (-0,79%).

Produtos como o óleo de soja, feijão do tipo carioca e arroz também apresentaram queda nos seus preços,
chegando a uma variação de -5,25%, -1,97% e -1,60%, respectivamente. As carnes, por sua vez, tiveram
uma elevação dos preços, registrando uma variação de 1,57%. Outros destaques vão para uma pequena
elevação do preço dos panificados (0,77%), assim como uma queda nos preços das aves e ovos (-0,13%).

Em fevereiro, o grupo de Transportes apresentou o segundo maior peso dentre os grupos analisados, com
uma variação de 2,08%. Apesar da variação positiva, as passagens áreas apresentaram uma desaceleração
em seus preços, chegando a -23,61%. Em janeiro, essa variação foi de 8,72%. A gasolina, por sua vez,
apresentou uma variação positiva, com 6,19%. Já o grupo de Saúde e cuidados pessoais, com variação
positiva em 1,37%, teve sua subida impulsionada pela alta nos preços dos perfumes (4,50%).

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40
salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos
municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e de Brasília. Para o cálculo do índice
do mês, foram comparados os preços coletados no período de 29 de janeiro de 2021 a 01 de março de
2021 (referência). Cabe lembrar que, devido ao quadro de emergência de saúde pública causado pela
COVID-19, o IBGE suspendeu, no dia 18 de março de 2020, a coleta presencial de preços nos locais de
compra. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por outros meios, como pesquisas
realizadas em sites de internet, por telefone ou por e-mail.

INPC varia 1,04% em Fevereiro em Aracaju

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC do mês de fevereiro de 2021 apresentou variação de
1,04%, enquanto, em janeiro havia registrado variação de 0,38%. O grupo de educação apresentou a maior
variação positiva, com 7,15%.

Todas as áreas investigadas pela pesquisa apresentaram variação positiva no mês. O maior índice foi
observado na região metropolitana de Fortaleza (1,52%), principalmente por conta da alta nos cursos
regulares (9,66%). Já o menor resultado ocorreu na região metropolitana do Rio de Janeiro (0,35%),
influenciado pela queda no preço das roupas (-1,52%) e da energia elétrica (-0,63%).

O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 05
salários mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos
municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e de Brasília.

Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados no período de 29 janeiro a 1° de
março de 2021 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de dezembro de 2020 a 28 de janeiro
de 2021 (base).

Fonte: IBGE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais