Embaixada do Brasil em Angola recebe empresários de Sergipe

0

O encontro com o embaixador Jorge D”Esrangnolle Taunay Filho aconteceu na quinta-feira à noite, dia 14, em Luanda, contando com a participação, além da delegação de empresários sergipanos que está em Luanda divulgando produtos e fechando negócios, de representantes da Petrobras, do Sonangol (Empresa de Exploração de Petróleo de Angola), do Banco do Brasil e da Associação dos Empresários e Executivos em Angola.

Foi um momento, na residência do embaixador, de confraternização e de troca de informações sobre a experiência de estar negociando em um país Africano e de falar sobre resultados de alguns contatos comerciais. Ao conversar com os empresários e os representantes do Sebrae, órgão responsável pela coordenação da viagem, o embaixador fez questão de registrar que essa missão dos sergipanos foi a que mais chamou a atenção das autoridades locais, pela integração, entusiasmo, organização e pelo número de participantes. Angola, ressaltou D`Esrangnolle, é um país que está aberto a parcerias e que o perigo de guerra já está afastado.

O Brasil é bem visto pelos empresários angolanos e existe uma confiança dos dois lados. O governo espera que muitas empresas do Brasil venham se instalar em Angola, assim como, existe o interesse de investimentos também em terras brasileiras. É uma parceira saudável e com excelentes perspectivas de sucesso, disse o Embaixador. Já os empresários de Sergipe fizeram questão de fazer um balanço dos contatos realizados com empresários e órgãos oficiais de Angola. A H. Dantas, por exemplo, que fabrica embarcações, depois de reunião com a Epinosul, empresa responsável pelas manobras dos navios no Porto de Luanda, solicitou proposta para compra de três rebocadores dentro de um período de três anos.

Cada rebocador custa em torno de 3 milhões de dólares. A Epinosul pretende renovar 50% da frota de rebocadores que operam no principal Porto de Angola. A Wellcon, empreendimento sergipano que trabalha com treinamento na área de exploração de Petróleo, também está com parcerias praticamente formalizadas. A idéia é formar mão-de-obra local para trabalhar nas empresas
petrolíferas. Existe também a perspectiva de fechamento de contrato para o treinamento na área gerencial. A Grippon, indústria de confecções de Itabaianinha, conseguiu também bom espaço nos distribuidores locais, inclusive um deles estará em Sergipe dentro de 15 dias visitando a fábrica para conhecer todo o processo e a capacidade de produção.

O empresário Francisco Libório, da Sullytex, foi recebido por empresários locais e por epresentantes da Federação de Futebol. Ele deixou produtos esportivos para divulgação junto aos clubes de Angola. Libório acredita que fechará bons contratos com distribuidores Africanos. Outras empresas como Saponóleo, Velas Avila, Indústria Oriental, Vega, Prometal, Maratá, Avelan Móveis, Cerâmica Santa Márcia, Água Mineral, Imperial, Indústria Química e Farmacêutica S/A, Guf, Petrolab, Serquímica, Lacticínio Santa Maria e as demais que compõem a Missão de Sergipe fizeram bons contatos, abrindo perspectivas para fechamento de negócios a curto e médio prazos. A Avelam Móveis, de Nossa Senhora da Glória, devido a qualidade dos produtos e preço bom, deverá enviar cerca de 1500 peças em três containers para a Angola.

O empresário Edson Ramos, da Serquímica, também está empolgado com a negociações com os Angolanos. A alta produtividade da química de petróleo apresentada impressionou os empresários de Luanda. É claro que enfrentamos alguns problemas de locomoção. Uma cidade com mais de três milhões de habitantes e com um trânsito muito difícil dificulta o trabalho. Mas, em geral o resultado está sendo bom e praticamente todo o grupo está saindo com boas perspectivas de negócios, disse Edson.

Além, é claro, ressaltaram alguns empresários, que a missão está proporcionando um importante momento de aprendizagem sobre exportação para o continente africano. O importante é criar a cultura de exportação, conhecer o que o mercado internacional está querendo e viver na prática a burocracia alfandegária. Para o empresário Waldir Guedes, da Sergitur, que faz parte da missão, Luanda é um bom local para investimentos. Com alguns cuidados, pois a cidade sofre com problemas de infra-estrutura, como queda constante de energia elétrica e transporte coletivo precário, Angola pode ser um bom caminho para investimentos. Encontrando os parceiros ideais e o produto ou serviço que está faltando, com certeza o investimento vai dar certo.

Luanda tem espaço inclusive para o turismo. Existem poucos bons restaurantes e o atendimento é precário, apesar das belezas naturais que podem gerar demanda. Existe também a possibilidade de fechamento de pacotes turísticos para o Brasil, uma vez que existe muita gente com alto poder
aquisitivo em Angola e os preços no Brasil são altamente atrativos, ressalta Waldir. A Secretaria de Estado da Indústria e Comércio também faz parte da Missão, através da presença em Luanda do diretor da Asplan, Epifânio José Fontes de Góes. Ele cumpre uma agenda institucional divulgando Sergipe e oferecendo oportunidades de investimentos.

Para o Superintendente do Sebrae em Sergipe, Zezinho Guimarães, essa foi uma importante iniciativa dos empresários sergipanos que estão investindo em novos mercados e acreditando na capacidade produtiva de seus empreendimentos e na qualidade de seus produtos e serviços. O empresário de sucesso tem que ser persistente, inovador e estar sempre atento as oportunidades. E o Sebrae está aqui prá isso. Estimular, apoiar e somar forças na conquista desses novos canais de escoamento de produção, afirmou o superintendente. Segundo o Diretor Técnico do Sebrae, Emanoel Silveira Sobral, que está em Luanda coordenando os trabalhos, o retorno está marcado para sábado, dia 16.

De Luanda a Missão segue para Johannesburg, onde passa a noite. No domingo embarca para São Paulo e depois para Aracaju. A chegada em Sergipe está prevista para as 23 horas do domingo, dia 17, informa Emanoel.

Luiz Fialho
De Angola

Comentários