Emdagro estimula OCS´s e garante produção orgânica

0

Para garantir um mercado diferenciado a agricultores familiares que optaram por produzir em sistema agroecológico, possibilitando-os comercializar seus produtos a um preço também diferenciado e sem a interferência de atravessadores, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, por meio da Emdagro, vem estimulando cada vez mais a criação de novas Organizações de Controle Social (OCS´s) e o fortalecimento da cadeia produtiva da cultura orgânica em Sergipe.

Dentro desse prisma, a Emdagro possibilita a esses agricultores um maior conhecimento sobre a produção agroecológica através de assistência técnica sistematizada, da realização de seminários, palestras, intercâmbios e cursos que mostrem o passo-a-passo do processo de transição entre a cultura convencional e a linha orgânica. Exemplo disso é o curso sobre agricultura orgânica que a Emdagro, através de sua Rede de Produtos e Mercados Diferenciados, está promovendo junto a 20 agricultores familiares da OCS do Território Leste Sergipano.

Nesse curso, estruturado em três módulos, a empresa, no dia de ontem (21), proporcionou aos participantes uma visitação a feira de produtos orgânicos que acontece na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease) toda quarta-feira. Lá, eles puderam observar a forma de organização daqueles agricultores, sobretudo na questão contábil, bem como trocar experiências que viabilizem uma maior operacionalização da feira agroecológica realizada por eles no município Japaratuba.

O produtor orgânico, Gabriel Gomes do Nascimento, diz serem importantes os intercâmbios realizados pela Emdagro. “Esses intercâmbios, essas visitas a outras feiras que a Emdagro nos proporciona são de muita importância para nós, que estamos iniciando no sistema agroecológico. Todas as vezes que a gente volta para nossa casa depois de participar de outras feiras, a gente fica mais estimulado em produzir orgânico”, Frisou.

Para produtora rural do município de Pirambú, Iraci dos Santos Sena, o que mais lhe chamou a atenção foi a forma contábil adotada pelos comerciantes. “Fiquei muito feliz em conhecer o jeito que eles fazem para receber e dividir o dinheiro pago na venda dos produtos. Eles mantêm, em comum acordo, a forma de que os pagamentos de todos os produtos vendidos são guardados para depois serem divididos, cada um na sua proporção”, constatou.

Segundo o Articulador da Rede de Produtos Diferenciados da Emdagro, Wagner Brito, a Emdagro desempenha o papel de fortalecer esse tipo de atividade. “É nosso papel fortalecer esses agricultores que optaram trabalhar com essa linha de orgânica”, destacou.

Para ele, a melhor forma de estimular essa consciência agroecológica é viabilizando a comercialização desses produtos. “O processo de transição da cultura convencional para a cultura agroecológica se dá gradativamente. Primeiro a gente tem que mostrar ao produtor que é possível adotar um conceito orgânico na produção de alimentos, através de informações consistentes. Depois, é buscar garantir, através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) com doação simultânea, além das feiras livres e da entrega em domicílio, as formas de escoamento a produção”, explicou.

Após a visita a feira na Aease, os agricultores se dirigiram à Emdagro onde participaram de uma discussão sobre a problematização que envolve a agricultura orgânica, os trabalhos referentes as boas práticas de conservação do solo, adubação verde, compostagem, vermicompostagem, rotação e conservação de culturas, quebra de ventos e o manejo de ervas invasoras, apresentados pela Articuladora da Rede de Agroecologia, Eugênica Maria Nascimento.

OCS´s

De acordo com a Lei 10.831 de 2003, para comercializar produtos orgânicos será necessário certificações que garantam a qualidade dos produtos. Entretanto, para as Organizações de Controle Social (OCS´s) a lei desobriga o agricultor familiar, possuidor de Declaração de Aptidão do Produtor (Dap), da certificação para comercializar seus  produtos orgânicos, porém necessitando apenas da habilitação por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Nessa categoria, ele terá acesso aos mercados institucionais, feiras livres e venda direta em domicílio.

Em Sergipe, a Emdagro contribuiu com a criação das OCS´s dos quatro Territórios Sergipanos. A OCS do Território Agreste Central que compreende os municípios de Itabaiana, Moita Bonita e Ribeirópolis, envolve 17 agricultores familiares; Lagarto, Simão Dias e Poço Verde, que fazem parte da OCS do Território Centro Sul, é composta por 16 produtores rurais; 15 agricultores fazem parte da OCS do Território Sul Sergipano, com os municípios de Arauá, Umbaúba, Santa Luzia do Itanhi, Indiaroba e Cristinápolis; nos municípios de Capela, Pirambú e Japaratuba  16 produtores rurais fazem parte da OCS do Território do Leste Sergipano e; No Território do Alto Sertão, compreendendo Porto da Folha, Gararu e Monte Alegra, 15 produtores compõem a OCS da região.

Fonte: Ascom Emdagro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais