Ex-gestores da Sefaz ainda não retornaram aos cargos

0

Reunião aconteceu na manhã desta terça-feira, 12 na Sala de Situação da Sefaz (Fotos: Portal Infonet)

Auditores fiscais que ocupavam cargos de chefia na Secretaria de Estado da Fazenda [e entregaram os postos em 2015 na tentativa de lutar pela aprovação da pauta de reivindicações a exemplo do Plano de Cargos Carreira e Vencimentos (PCCV)] se reuniram na manhã desta terça-feira, 12, com representante do sindicato da categoria, na Sefaz. No encontro, a diretoria do Sindifisco lembrou a importância de manter o movimento coeso e destacou o registro de queda na arrecadação.

“A gente está se reunindo com os ex-gestores, pois estão tentando o retorno de alguns, já que os cargos ainda não foram ocupados. São 85 pessoas que entregaram os cargos em 3 de novembro de 2015, o que está gerando queda significativa na arrecadação. Tivemos uma reunião semana passada com o secretário Jeferson Passos, ele ficou de apresentar uma nova contraproposta e no próximo dia 20, teremos nova reunião, com isso vamos aguardar”, informa o diretor do Sindifisco, Abílio Castanheira.

Ex-gestores começam a ser convidados a retornar

Na reunião, o presidente do Sindifisco, Paulo Pedrosa, lembrou aos ex-gestores que o movimento reivindicatório do trabalhador não é fácil de se levar, mas esse é o mais forte e um dos mais coeso que o Fisco já realizou, resultado do empenho e da dedicação de todos.

“Temos percalços, mas não tenho dúvidas do entendimento de que a categoria tem da necessidade de fazer a defesa da pauta. O movimento pode ter uma desfecho a qualquer hora, pode não ser o que desejamos, mas acredito estar próximo do desfecho que não depende apenas da categoria, mas do Governo. Precisamos manter o ânimo e o entendimento para que o movimento não venha a fracassar”, diz.

Balanço

Abílio Castanheira: "São 85 pessoas que entregaram os cargos"

Paulo Pedrosa destacou também o balanço orçamentário de 2015. “A gente não entende a lógica do Governo, pois a conta corrente encerrou 2015 com mais de 300 milhões de reais positivo, levando em consideração que nesse relatório, o décimo terceiro aparece liquidado em dezembro. Aí o Governo parcela o 13º, atrasa o pagamento, com o objetivo de frear o movimento reivindicatório e cria um crime de insolvência no Estado, que tem debilidades na conta do capital. O Governo nunca alcançou nem com o Proinveste, arrecadar o suficiente para cobrir essas despesas”, lamenta.

O presidente do Sindifisco acrescentou estar fazendo essa discussão para frisar que a luta da categoria é justa. “A pior coisa é o sindicato estar apontando a necessidade de o Governo atender sem ele ter o recurso necessário, seria muita irresponsabilidade da diretoria do sindicato, principalmente agora que nós priorizamos o plano de carreira, mas o Governo ainda resiste em atender essa reivindicação nossa”, entende.

Fragilização

Paulo Pedrosa: "Estão tentando ocupar as vagas com auditores II"

O sindicalista enfatizou que a administração da Sefaz está tomando iniciativas de fragilizar o movimento dos ex-gestores. “Com quase seis meses da entrega dos cargos, a secretaria não conseguiu fazer com que a máquina administrativa funcionasse adequadamente. Está tentando trazer os colegas para os cargos de chefia, e de forma desesperada, ocupar as vagas com os auditores II, o que não está funcionando; a receita está caíndo de forma expressiva e temos que continuar mantendo o nosso movimento”, acredita.

A reportagem do Portal Infonet encontrou o secretário Jeferson Passos na sede da Sefaz, que preferiu não se manifestar sobre a reunião entre a direção do Sindifisco. “Estou entrando em uma reunião agora”, disse.

O Portal Infonet continua à disposição do secretário para quaisquer esclarecimentos pelo telefone 2106-8000 ou pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais