Exportações sergipanas já cresceram 65% em 2011

0

Valores já atingiram o montante de US$ 38,6 milhões (Foto: Alejandro Zambrana/Sedetec/Arquivo Infonet)

As exportações de Sergipe apresentaram uma evolução significativa no acumulado dos meses de janeiro a maio de 2011 com relação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados fornecidos pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) as exportações registram um crescimento percentual de 65% no comparativo com o ano de 2010 quando foi registrado um volume de US$ 23,4 milhões. Este ano os valores já atingiram um montante de US$ 38,6 milhões.

Os destaques são o suco de laranja, o açúcar e os calçados. O suco, por exemplo, apresenta no acumulado deste ano uma expansão de 23% no valor exportado, em relação ao mesmo período do ano anterior. “Historicamente somos um Estado primordialmente importador. Mas o volume de exportações, bem como o volume total de transações do nosso comércio exterior, somando os valores exportados e importados, demonstram que a economia sergipana está aquecida, com mais exportações nesse início de ano do que no ano passado. Além disso, as importações concentram-se, principalmente, em insumos para a indústria e em bens de capital, o que indica que a atividade econômica sergipana vai muito bem”, frisa o secretário Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Zeca da Silva.

Contudo, mesmo com a expressiva evolução das exportações no ano corrente, o saldo comercial mantém seu quadro histórico de déficits e permanece negativo em US$ 88,4 milhões. Tal situação, porém, não deve ser analisada, no todo, como negativa, conforme analisa o economista Danilo Munduruca, do Departamento Técnico da Sedetec. “Embora o resultado deficitário nunca seja a melhor situação, as importações sergipanas não podem ser vistas como ruins, pois estão pautadas em insumos e em bens de capital”.

De acordo com o economista, o aumento da renda interna e o Real valorizado têm contribuído para as importações, propiciando ao empresariado local investir mais em seus empreendimentos. “Entre os principais produtos importados estão o trigo, o coque de petróleo, os compostos químicos para fabricação de fertilizantes e o algodão, como insumos produtivos, além de máquinas e equipamentos, como bens de capital, numa clara demonstração de que, se as indústrias estão comprando máquinas é porque estão modernizando suas instalações e/ou expandindo sua capacidade produtiva, o que é altamente positivo para a economia local”, destaca Danilo.

Além disso, Danilo observa que a evolução da corrente de comércio – soma das exportações e das importações -, neste ano apresenta um aumento de 72% em relação ao ano de 2010. “Isso aponta para uma maior inserção da economia sergipana no comércio exterior”, finalizou o economista.

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais