Falta de acordo atrasa pagamento do seguro-defeso

0
Fila na porta do INSS (Fotos: Portal Infonet)

Pescadores de Aracaju, que atuam na captura de camarão, estão enfrentando grande fila na sede do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) para receber o seguro-defeso. Por falta de um acordo com a Colônia de Pescadores, o INSS não pagou o benefício e decidiu fazer o atendimento presencial aos pescadores da capital sergipana contemplados com o seguro-defeso, conforme explicações do coordenador do grupo de trabalho do defeso da instituição, Francisco Osman da Silva. O defeso do camarão acontece no período entre os dias 1º de abril a 15 de maio, neste primeiro semestre.

Os motivos da falta do acordo, o representante do INSS não soube explicar. Informou apenas que seria um litígio entre os próprios representantes daquela Colônia de Pescadores que inviabilizou os entendimentos. Segundo o coordenador de trabalhos, em nível nacional há um acordo convênio com a Federação Nacional de Pescadores para efetuar o pagamento deste benefícios sem tanta burocraria. “E, para não prejudicar os pescadores que têm direito a este benefício, o INSS decidiu fazer o atendimento presencial”, explicou.

Na parte interna, pescadores aguardam atendimento

Os pescadores temem o corte do benefício. “É um dinheiro que nos ajuda muito, sempre a gente já faz as contas com este dinheiro”, diz Marluce Bispo, 31, contemplada com o benefício há alguns anos. “Hoje eu tenho medo de perder. A gente vê boatos que vão cortar e aí a gente fica com medo”, reage. “Sou pescador desde que comecei a andar e recebo este benefício já tem uns 15 anos, vou dar a entrada no requerimento porque atrasou”, diz o pescador Sérgio Augusto Santo de Jesus, 43, sem saber ao certo o que motivou o INSS a exigir este novo requerimento. “Vim só pegar o papel”, informa.

O coordenador do grupo de trabalho do INSS tranquiliza. Ele garante que o benefício será liberado na próxima semana a todos que estiverem em situação regular junto ao Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento (MAPA). Em Sergipe, segundo o coordenador, há perspectiva de atendimento a 15 mil pescadores, comprovadamente cadastrados no Registro Geral de Pescadores (RGP).

Sérgio e Marluce: medo de perder benefício

Servidores agilizam atendimento presencial

“É o MAPA o órgão responsável pelo cadastramento, o INSS apenas processa as informações disponibilizadas por aquele órgão”, comenta. A fila não está vinculada às suspeitas de fraude no pagamento do benefício conforme investigações que estão em andamento na Polícia Federal, segundo o coordenador do grupo de trabalho do INSS.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais