IBGE prevê queda na safra de cereais, leguminosas e oleaginosas em SE

0
Estimativa da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas é de redução da safra, aponta IBGE (Foto: IBGE)

Nesta terça-feira, 11, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) com dados da estimativa da safra de 2020 em janeiro. Os números apontam uma queda na produção cereais, leguminosas e oleaginosas em Sergipe.

Embora o cenário em Sergipe referente à estimativa da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, aponte uma produção de mais de 613 mil, em relação à variação anual, esta estimativa representa uma queda de 11,7% em relação a 2019, quando a safra fechou com uma produção de mais de 695 mil toneladas.

Depois de crescer em 2019, produção de milho deve cair em 2020

Em Sergipe, houve um crescimento anual (2018-2019) em mais de 230% na área utilizada para plantação de milho. A safra, em 2018, havia sido de 160 984 toneladas, enquanto a safra estimada em dezembro de 2019 foi de 655 897 toneladas.

Porém, o prognóstico da safra em janeiro de 2020 apresenta uma redução de variação da produção anual em 12,1%, estimando-se uma produção de 576 622 toneladas.

Além disso, estima-se redução do rendimento médio em 19,1%. Isso porque, apesar da produção menor, a área de produção deve aumentar em mais de 8% ao se comparar a safra de 2019 com a de 2020.

Destaques de produtos advindos da produção agrícola em Sergipe

Em relação à cana-de-açúcar, a variação anual da produção estimada para 2020 registrou um aumento de 13%, com uma produção de 2 066 705 toneladas. Em relação à área, na safra de 2019 comparada com a safra de 2020, houve uma variação positiva de mais de 16,5%.

Outro destaque positivo foi o feijão, que apresentou uma variação anual em sua produção em mais de 10%, com produção estimada para 2020 de mais de 3 500 toneladas. Já a área apresentou uma variação anual em mais de 17%, chegando a uma estimativa de mais de 5 mil hectares.

O arroz apresentou variações anuais negativas em janeiro de 2020 tanto em sua produção (7%), quanto em seu rendimento (3,3%), como em sua área (-3,7%).

Com informações do IBGE 

Comentários