Já foi definida a especialização da ZPE

0

ZPE produzirá insumos para cadeia de exploração de petróleo / Foto: Arquivo Infonet
O governo do Estado identificou aquela que pode vir a ser a especialização produtiva da Zona de Processamento de Exportações de Sergipe (ZPE-SE): indústrias da cadeia de suprimento das atividades de exploração e produção de petróleo e gás. A ZPE-SE será implantada na Barra dos Coqueiros, em área adjacente ao Terminal Marítimo Inácio Barbosa, que, nos anos 80, foi preparada para a instalação de um pólo cloroquímico.

 

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Jorge Santana, as atividades de exploração e produção de petróleo e gás têm crescido em ritmo acelerado em todo o mundo, demandando encomendas de bens cujos prazos de entrega se tornaram muito longos, justificando investimentos em novas plantas industriais.

 

Esse crescimento é acentuado no Brasil pela presença da Petrobrás e de muitas outras empresas multinacionais que atuam no país. As indústrias desse segmento que se instalarem em Sergipe poderão atender o mercado interno brasileiro e outros importantes mercados, facilmente atingíveis por via marítima dada a posição geográfica privilegiada da ZPE-SE.

 

Secretário vai ao Texas para conferência internacional

 

As ZPEs são localizadas nas regiões menos desenvolvidas, com a finalidade de reduzir desequilíbrios regionais, fortalecer o balanço de pagamentos e promover a difusão tecnológica e o desenvolvimento econômico e social do País. São áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de indústrias voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior, sendo consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro. Parte da produção, limitada a 20%, pode ser internalizada no país.

 

Com o objetivo de prospectar potenciais investidores para a ZPE-SE, o secretário Jorge Santana vai participar, esta semana, em Houston, no Texas, de um dos maiores eventos mundiais da indústria do petróleo, a Offshore Technology Conference (OTC). Ele acredita que o momento se torna mais propício para a atração do investidor estrangeiro uma vez que esta semana a agência de classificação de risco Standard and Poor”s (S&P) concedeu ao Brasil o grau de investimento (investment grade). De acordo com a agência, a nota para os títulos brasileiros em moeda nacional é agora BBB+, e os emitidos em moda estrangeira são considerados BBB.

 

Por Ivan Valença

Comentários