Jovens aprendizes melhoram o serviço no autoatendimento do Banese

0

Programa Jovem Aprendiz Banese implantado nas maiores agências/Foto: Arquivo Infonet
O número de transações realizadas nos caixas de autoatendimento das 14 maiores agências do Banco do Estado de Sergipe (Banese) em Aracaju e na Agência Socorro, do município de Nossa Senhora do Socorro, passou de 682.313 em maio deste ano para 1.192.229 em junho, registrando um aumento de 74,7%. Esse resultado, segundo a responsável pelo Programa Jovem Aprendiz do Banese, Lígia Sampaio, da Área de Gestão de Pessoas (Agesp) da instituição, deve-se à atuação do primeiro grupo de jovens aprendizes colocados pelo banco para trabalhar no atendimento aos clientes naquelas agências.

De acordo com Lígia Sampaio, o Programa Jovem Aprendiz do Banese, iniciado em junho, tem dado resultados tão positivos que a diretoria do banco já pensa em expandi-lo para todas as 61 agências da instituição no Estado. “As atividades dos jovens aprendizes do Banese têm contribuído para reduzir a carga de trabalho dos caixas e dar maior presteza no atendimento aos clientes”, informou a coordenadora do programa.

Composto por 25 estudantes de 16 a 22 anos, o primeiro grupo de jovens aprendizes do Banese foi selecionado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e pela Agesp entre alunos de escolas do ensino médio da rede pública de educação, em atendimento à lei do Ministério do Trabalho que se refere às relações jurídicas para contratação de aprendizes.

Pelas normas do programa, os jovens são remunerados e têm direito a férias, FTGS e vale-transporte. Eles cumprem uma carga de trabalho de cinco horas diárias, de segunda a sexta-feira. Além disso também participam, aos sábados, durante mais cinco horas, de cursos de capacitação ministrados por profissionais da CIEE e da Agesp.

Responsabilidade social

Segundo o presidente do Banese, Saumíneo Nascimento, com o Programa Jovem Aprendiz o banco está se pautando cada vez mais enquanto empresa cidadã, inserida dentro de uma política de Governo que tem uma visão ampla do que é responsabilidade social.

“Não estamos apenas cumprindo uma determinação legal do Ministério do Trabalho, mas dando oportunidade a esses jovens de agregar valores e se incluir no mercado de trabalho de forma permanente, quem sabe até mesmo através de um concurso público do próprio Banese”, destacou o presidente.

Fonte: Ascom Banese

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais