Juros ficam onde estão, em 11,25%

0

Reunido na última quinta-feira, o COPOM decidiu manter a taxa básica de juros em 11,25%, interrompendo a seqüência de cortes iniciada em setembro de 2005. Esta decisão foi prevista pelo deputado federal Albano Franco, em pronunciamento na Câmara há cerca de 20 dias, quando fez uma avaliação da conjuntura macroeconômica.

Segundo o parlamentar, o aquecimento da demanda sem uma contrapartida de oferta, já que a economia está trabalhando no limite de sua capacidade instalada, está pressionando os preços para cima. E o antídoto mais usado para combater a inflação é a manutenção de juros altos, daí a decisão do COPOM.

É necessário, portanto, que se eleve a ofertas de bens e serviços, mas isto só se faz com novos investimentos a fim de se aumentar a capacidade produtiva do país. Mas, como dizia o velho Keynes que o investimento é uma função inversa da taxa de juros, logo quanto maiores forem os juros, menor será o investimento. De qualquer forma, mesmo com os juros nas alturas, o presidente Lula avisou lá da África, que vai se reunir com os empresários nas próximas semanas para pedir mais investimentos. Aguardemos, pois…

Por Ivan Valença

Comentários