Lojistas ainda esperam crescimento de vendas no Natal

0

Lojistas reclamam de vendas no Natal
Apenas três dias antes do Natal, os lojistas que possuem estabelecimentos situados no shopping da capital reclamam do movimento. Com os corredores lotados na maior parte do tempo e o horário de funcionamento estendido em até duas horas, a esperança é que nesses últimos dias o consumidor sergipano se anime e compre os presentes natalinos. Em algumas lojas as vendas são classificadas como ruim ou abaixo das expectativas.

Em um estabelecimento que comercializa sapatos e acessórios, um dos vendedores falou que não consegue bater as metas. “Tínhamos uma meta para esse mês, mas faltando apenas três dias para o Natal, estamos longe de conseguir cumprir. Mesmo nos horários extras de funcionamento, o que percebemos é um vazio na loja. Esse ano o consumidor só compra lembrancinha”, disse.

Afonso Prado: “vendas ainda podem melhorar”
Já na livraria do shopping, embora o movimento ainda não tenha atingido as expectativas, as vendas transcorrem de forma normal. O gerente de vendas, Afonso Prado, falou que apesar disso ainda tem como melhorar. “O que esperamos é conseguir vender mais nesses últimos dias. Estamos contando com o fato de que os brasileiros deixam para última hora e hoje e amanhã esperamos um aumento”, falou.

Se depender da consumidora Magali Mesquita, que deixou as compras somente para hoje, 22, os lojistas venderão normalmente. Ela esclarece que vai comprar seus presentes do mesmo jeito que no ano passado e que não veio antes por falta de tempo. “Como deixei para última hora resolvi aproveitar o horário alternativo para evitar os transtornos. Levarei dois dias para comprar todos os presentes”, explica.

Magali Mesquita não veio antes por falta de tempo
As baixas vendas se repetem na loja de roupas e acessório de praia. Segundo a operadora de caixa, Alice Bastos Leite, no mês de dezembro o movimento registrado é menor do que os meses que o antecederam, como outubro e novembro. Ainda de acordo com ela, as vendas em dinheiro estão cada vez mais raras. “A nossa esperança agora é o réveillon, pois acreditamos que as pessoas vão procurar nossos produtos para as viagens de janeiro”.

 O economista Luiz Moura , do Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Sócio-Econômicos (Dieese), explicou que a queda nas vendas no shopping nesse mês pode ser explicada pelos hábitos dos consumidores desse estabelecimento. “Quem compra no shopping geralmente tem um poder aquisitivo maior, por isso, já antecipou suas compras, utilizando cartão de crédito e outras formas de pagamento. Já os do centro ainda estão

recendo o seu 13º salário e só agora vai consumir.

Luiz Moura confirma que o consumidor não precisa ter receio de comprar, já que o registro de crescimento para Sergipe é de 11%. “Acredito que a crise mundial não vai nos atingir esse ano, mas apenas em 2009. Mesmo assim, a situação ainda é incerta”.

Comentários