Mão Amiga Cana: última parcela do benefício já está disponível 

0
Benefício disponível (Foto: Edinah Mary)

Os trabalhadores do corte da cana inscritos no Programa Mão Amiga já podem fazer o saque da quarta e última parcela do benefício, se dirigindo a uma agência ou Ponto Banese munidos do cartão do programa. Através da secretaria de Estado da Inclusão Social (Seidh), o Governo do Estado já creditou o pagamento correspondente a R$ 190 nas contas dos 3.893 beneficiários, representando um montante de R$ 739.670,00 investidos nos 21 municípios sergipanos de atividade sulcroalcooleiros participantes. Com esta parcela, o valor pago nesta edição do programa chega a R$ 3,3 milhões, oriundos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Funcep).

De acordo com a diretora de Inclusão Produtiva da Seidh, Heleonora Cerqueira da Graça, o recebimento da quarta parcela é condicionado à presença obrigatória nos seminários realizados pelo Programa em todos os municípios, levando temas de interesse do público do programa – como uso de equipamentos de proteção individual, saúde do trabalhador, cuidados na manipulação de defensivos agrícolas, diretos sociais e trabalhistas.

“A participação nos seminários é uma contrapartida obrigatória do trabalhador, sem a qual ele não recebe a última parcela. Por isso, no começo do programa tínhamos 4.441 beneficiários e, após os seminários, esse número passou a ser de 3.893. Essa diferença corresponde aos que não compareceram, mas pode ser visto como um dado positivo, porque significa que eles podem ter sido reconvocados pelas usinas; readmitidos para o trabalho”, pontuou Heleonora.

Criado em 2009 para combater os efeitos do desemprego causado pela entressafra dos cultivos da cana e da laranja em Sergipe, o Programa Mão Amiga paga aos trabalhadores rurais, um benefício anual de R$ 760 divididos em quatro parcelas, com recursos 100% oriundos do tesouro estadual. Considerando as duas vertentes, o programa atende o total de 34 municípios.

Só do Mão Amiga Cana fazem parte os municípios de Malhada dos Bois, Divina Pastora, Capela, Laranjeiras, Maruim, Carmópolis, Rosário do Catete, São Francisco, Neópolis, Pacatuba, Japoatã, Siriri, Santa Rosa de Lima, Malhador, Riachuelo, Japaratuba, São Cristóvão, Areia Branca, Muribeca, Nossa Senhora das Dores e Aquidabã, que passou a fazer parte do Programa nesta edição, atendendo a uma demanda de trabalhadores locais que atuam em lavouras de municípios vizinhos.

Fonte: SEIDH

Comentários