Mercado Imobiliário de Luxo tem espaço garantido em Aracaju

0

Extensão dos prédios de luxo na área nobre da capital
Avenida Beira Mar, bairro nobre da capital e adjacências. Facilmente verificam-se alguns prédios de luxo sendo construídos na extensão e uma lista de candidatos se propondo a olhar os lançamentos e calcular as possibilidades de se adquirir um imóvel.

O economista do Departamento Intersindical de Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), Luís Moura, destaca que em todo país, incluindo Sergipe, houve um ‘boom’ do mercado imobiliário. “Em termos de investimento, a construção civil está acima de todos os outros setores, possibilitando um leque de opções para todos os clientes. Mas um grande potencial que se verifica no Estado é o crescimento dos apartamentos de alto luxo, geralmente encontrados nos bairros 13 de Julho, Aruana e afins”, diz o estudioso.   

Luís Moura explica que “a utilização do financiamento e a entrada dos bancos privados nesse setor têm dinamizado ainda mais esse negócio. Nele, verifica-se um novo público, os recém-casados”. Ele completa que o saldo de abril no país é de cerca de R$ 1,8 bilhões de acordo com o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.  

Crescimento no mercado de apartamentos de alto luxo
Segundo o economista do Dieese, da mesma forma que teve um crescimento das unidades de alto luxo, constata-se uma carência de habitações para o segmento da classe média baixa, pessoas que ganham, em média, R$ 1.500,00 a R$ 5.000,00, mesmo tendo investimentos quanto a financiamento de compra do terreno e material de construção.  

O desing gráfico, André Hylling, faz parte dessa realidade e observa de maneira interessante as vantagens que são propostas para comprar um imóvel. “Tenho 32 anos e fiquei noivo há 1 ano. Estou analisando as melhores condições e um apartamento compatível com as minhas necessidades”. Ele tem analisado alguns apartamentos no Jardins e adjacências, cujos valores giram em torno de R$ 120.000,00.

Ele completa que “a renda mensal é de R$ 2.000,00 e a vantagem de financiar é porque não tem dinheiro para comprar à vista, além do valor do financiamento ser mais fácil porque é parecido com o do aluguel e está se pagando por uma coisa que é própria”.

Por Karinéia Cruz e Gabriela Amorim

Comentários