Mesmo com o preço do trigo em baixa, pães permanecem com os mesmos valores

0

Panificadoras devem não reajustar o valor
Consumidores sergipanos, por enquanto, não têm o que comemorar com a baixa dos preços do trigo. A redução do valor dos pães que era esperada com a baixa dos preços de 8 a 10% no trigo ainda não foi necessária para alteração dos valores nas panificadoras. Diferente de outros Estados, Sergipe não tem acompanhado a baixa de preço, tendo entre outros motivos, a concorrência. 

O presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Sergipe (Sipces), Antônio Carlos Araújo, diz que de janeiro a julho o trigo subiu mais de 80%. “Em alguns Estados, essa alta alterou o valor, mas Sergipe não acompanhou. Pela concorrência, esse reajuste não foi atualizado”, explica.

Antônio Carlos completa também que os tributos ajudaram para balancear o valor. “O governo federal diminuiu o imposto PIS/ Confins até o fim do ano para os moinhos. Então, no final das contas um compensa o outro. O preço médio do pão é de R$ 4 a R$ 6,50. Já no Sul do país, o valor chega a R$ 10,00. Sergipe é o Estado que tem o preço do pão mais barato do Brasil”, diz. 

Gerente de uma panificadora local, Alisson Mota 

O comerciante e gerente de uma panificadora local, Alisson Mota, diz que este ano teve uma oscilação em que a alta foi maior que a baixa. “Essa baixa não foi suficiente para baixar o valor dos pãezinhos. A alta foi mais considerável. O preço do trigo aumentou em 70% enquanto que a baixa foi de 30%. Só baixaríamos um pouco o preço no valor de R$ 4,50 se tiver mais uma baixa de 30%. Se não continuaremos vendendo em R$ 5,00”, conclui. 

 

Comentários