Motoristas de transporte escolar pedem auxílio ao governo em novo ato

0
Ato aconteceu nas proximidades do Teatro Tobias Barreto, zona sul da capital (Foto: Astranspe)

Sem trabalho há sete meses, motoristas de transporte escolar realizaram na manhã desta quarta-feira, 30, um novo ato com o intuito de chamar a atenção do Governo do Estado de Sergipe para as dificuldades que a categoria vem passando desde o início da pandemia, principalmente devido a suspensão das aulas.

De acordo com o presidente da Associação dos Transportadores Escolares do Estado de Sergipe (Astranspe), José Wellington Santos, a situação já chegou num nível insustentável. “Estamos parados há sete meses. Esse tempo todo sem renda, já que as escolas estão fechadas. Tem muitos motoristas que estão vivendo de doações dos familiares”, desabafa.

Ainda segundo ele, a categoria fechou a iniciar um diálogo com o Governo do Estado, mas ficou pelo meio do caminho. “Não teve nada de concreto. Só promessas”, salienta. Ele afirma que os motoristas precisam de alguns auxílios neste momento de fragilidade financeira. “Além de um recurso mensal, queremos também uma linha de crédito especial. Tem muitos motoristas que estão perdendo o carro, já que os bancos estão executando as dívidas”, diz. “Mas como a gente vai pagar as prestações todo mês se desde março estamos sem trabalhar? Os bancos deveriam entender e adiar o pagamento das parcelas”, completa.

O Portal Infonet entrou em contato com a Superintendência de Comunicação do Governo do Estado, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta. Estamos à disposição através do e-mail: jornalismo@infonet.com.br ou telefone (79) 21068000.

por João Paulo Schneider 

Comentários