Não Pago vê como absurdo o aumento da passagem de ônibus

0
Integrantes do movimento em uma das rodas de conversa sobre o aumento da tarifa (Foto: Flávio Marcel/Não Pago)

Líderes do movimento “Não Pago” participaram de uma atividade conjunta entre os militantes e representes sindicais na praça General Valadão na tarde desta quinta-feira, 8, contra o possível aumento da passagem de ônibus.

“A gente já vinha se reunindo com alguns estudantes da UFS e eles vieram aqui hoje fazer panfletagem e uma conscientização a respeito desse aumento da passagem de ônibus”, resume Fávio Marcel, que é um dos integrantes do  movimento.

Fávio destaca que o reajuste da passagem vai de encontro a situação econômica que o Brasil vem enfrentando nos últimos anos. “O Setransp quer esse aumento de R$4,44 e nós queremos mostrar para a população e para os outros movimentos que qualquer tipo de aumento nesse momento é absurdo”, diz.

Flávio Marcel, um dos integrantes do movimento “Não Pago” (Foto: Portal Infonet)

Flávio também conta que já solicitou à Superintendência Municipal de Transporte Terrestres (SMTT) a planilha de reajuste da tarifa, mas que até o momento não conseguiu obtê-la. “A partir dessa análise dos dados, em conjunto com a população, nós teremos consciência se esse aumento e válido ou não”, destaca. “O Setransp fala que o número de passageiros diminuiu 25%, mas o que percebemos são os ônibus lotados”, acrescenta.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp) solicitou à Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) que a tarifa do transporte coletivo da capital seja reajustada e passe a valer R$ 4,44. Até o momento, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B) não se manifestou em relação a esse pedido de aumento.

por João Paulo Schneider e Verlane Estácio

Comentários