Operações de crédito em Sergipe continuam crescendo

0

Taxa de inadimplência atingiu 2,8%, a menor já verificada (Foto: Arquivo Infonet)

A alta dos juros implementada pelo Banco Central nos últimos meses contribuiu para o encarecimento dos financiamentos no país, mas apesar disso as operações de crédito continuaram crescendo em Sergipe. Após análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico (FIES/UFS), com base nos dados do BACEN, foi verificado uma nova elevação das operações de crédito no estado, pelo segundo mês consecutivo.

Em fevereiro, o saldo total das operações de crédito realizadas em Sergipe, bateu recorde mais uma vez, alcançando mais de R$ 8,5 bilhões movimentados pelas instituições financeiras atuantes em todo o estado. O montante transacionado é 45,9% superior ao volume transacionado em fevereiro do ano passado. E no primeiro bimestre (janeiro e fevereiro) deste ano, o saldo total de operações chega a R$ 17 bilhões, alcançando outro recorde e sendo 44,4% maior que o saldo do primeiro bimestre do ano passado.

O saldo das operações de crédito das pessoas físicas totalizou R$ 4,7 bilhões, com alta de 43,6% em comparação com o segundo mês do ano passado. Já o saldo das operações de crédito realizadas pelas pessoas jurídicas, também apresentou aumento de 48,8%, saltando de R$ 2,5 bilhões em fevereiro do ano passado para R$ 3,8 bilhões no segundo mês deste ano.

Inadimplência

A taxa de inadimplência total das operações de crédito em Sergipe atingiu 2,8%, sendo a menor taxa já verificada no estado desde o início da série analisada, em 2004. O mesmo verificou-se na taxa de inadimplência das pessoas físicas, que registrou 3,3% de inadimplência sobre os contratos com atraso superior a noventa dias.

A taxa de inadimplência das pessoas jurídicas atingiu 2,2% alcançando menor nível desde março de 2009. Esses recuos nas taxas de inadimplência refletem o comprometimento dos sergipanos em honrar seus contratos de crédito, além de contribuir para o bom fluxo do sistema financeiro nacional.

Para o BACEN a taxa de inadimplência é medida pela razão entre o saldo dos contratos em que há pelo menos uma prestação, integral ou parcial, com atraso superior a noventa dias e o saldo total das operações.

Fonte: Fies

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais