Parcelamento: Governo volta a dizer que falta dinheiro

0
Quem ganhar acima de R$ 2 mil, vai receber até 11 de setembro (Foto: Arquivo Infonet)

Mais uma vez o Governo do Estado teve que parcelar o salário dos servidores do estado. O mesmo procedimento foi realizado no mês passado. Segundo o governador em exercício, Belivaldo Chagas, parcelar o salário dos servidores foi à única alternativa encontrada pelo governo.

“A questão é de falta de dinheiro mesmo. Se não tivéssemos utilizado os R$ 75 milhões que a gente vem utilizando em média para pagar a folha de aposentados e pensionistas como pagamos dia 28, nós iríamos talvez até ter dificuldade para pagar da forma que estamos pagando até o décimo primeiro dia do mês de setembro a folha do mês de agosto”, conta.

Melhora em outubro

Ainda segundo o governador, se houver a continuidade da utilização dos recursos previstos na Lei Complementar de número 264, que autoriza o uso de depósitos judiciários para o pagamento do salário, a previsão é que no mês de outubro a situação possa melhorar.

“A expectativa é que se a gente continuar recebendo os recursos do deposito judicial, a gente consiga, se não neste mês de setembro, mas com certeza no mês de outubro ter o pagamento feito dentro do mês”.

Parcelamento

Nesta segunda-feira, 31, serão pagos integralmente os servidores lotados na Secretaria de Estado da Saúde (FES e FES-SAMU), Detran, Jucese, Adema, Segrase, Ipesaúde, Sergiprevidência, Fundações de Saúde (FHS, FSPN, Funesa) e pensões alimentícias.

Já os servidores lotados nas demais secretarias, Emdagro, Cehop, Codise, Cohidro, Emgetis, Emsetur, Pronese, demais autarquias (DER, ITPS, Fapitec, Renascer e Fundap) e pensionistas especiais recebem até o limite de R$ 2 mil na segunda-feira, dia 31. Os valores que ultrapassam esse limite serão pagos até o dia 11 de setembro.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais