Pesquisadores apresentam projetos para preservar saúde e meio ambiente

0
Seminário tambpem comemorou os 88 anos do ITPS (Foto: Vieira Neto/Sedetec)

Com o objetivo de apresentar projetos de pesquisas aprovados pela Fundação de Apoio à Pesquisa e a Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec) à comunidade científica, aconteceu na terça-feira, 12, o IV Seminário Iniciando em Ciência & Tecnologia. O evento foi realizado no auditório do Instituto Tecnológico e de Pesquisa de Sergipe (ITPS), órgão vinculado à Secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico da Ciência e Tecnologia (Sedetec).

O diretor presidente do instituto, José do Patrocínio, aproveitou a ocasião para festejar os 88 anos da instituição, uma das mais antigas do Brasil, atrás apenas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT) e o Instituto Nacional de Tecnologia do Rio de Janeiro (INT). “É de extrema importância transformar conhecimento em tecnologia, para que seja possível proporcionarmos suporte para a sociedade e, consequentemente, um retorno para o desenvolvimento socioeconômico de Sergipe”, disse o diretor presidente durante o seminário.

Água, Alimento e Energia foram temas abordados nos trabalhos técnicos. ‘Desenvolvimento de Método Analítico para Determinação de Elementos Traço, em Amostra de Fertilizantes Coletados no Estado de Sergipe’ foi o projeto apresentado pelo professor doutor Rennan Oliveira, do Departamento de Química da Universidade Federal de Sergipe (UFS), propondo a verificação do nível permitido de fertilizante agrícola no alimento, de acordo com a legislação brasileira, por meio de coletas realizadas em Sergipe, incluindo os que são comercializados e produzidos no Estado. “Em altas concentrações, os fertilizantes podem causar danos à saúde da população e afetar ao meio ambiente.”, enfatizou Rennan Oliveira.

Já a professora doutora Elisângela de Andrade, também do Departamento de Química/UFS, apresentou o projeto ‘Avaliação da Contaminação de Metais Traço em Sedimento da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe’. “O intuito deste trabalho é descobrir se há contaminação de metais traços distribuídos ao longo do Rio Sergipe”, afirmou. Serão 19 pontos de amostragem, com as coletas sendo realizadas próximo à nascente do rio e no seu decorrer, justamente aonde se encontram indústrias e esgotos.

Outro estudo apresentado durante o seminário, coordenado pelo professor doutor Pedro Viégas, do Departamento de Engenharia Agronômica/UFS, o projeto ‘Efeitos de Fontes e Doses de Nitrogênio e Horários de Colheita de Alface Babá de Verão Sobre os Teores de Nitrato e de Nitrito em Diferentes Partes do Planeta’, visa analisar o concentração de Nitrato e de Nitrito no solo e nas hortaliças cultivadas, a exemplo das folhas de alface, examinando seus efeitos. José do Patrocínio informou que os dados coletados neste projeto irão gerar uma tecnologia de plantio eficiente, além de informar a população e os agricultores sobre os perigos da utilização abusiva. “Todos os projetos aqui apresentados visam adquirir mais eficiência produtiva, mas isso sem degradar o meio ambiente”, finalizou Patrocínio.

Fonte: Sedetec

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais