Planos de saúde: BB e Caixa falam sobre reivindicações dos bancários

0
Seeb visitou Agência General Valadão do BB (Fotos: Seeb/Se)
Ato também ocorreu na Agência Serigy da Caixa

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal se manifestaram nesta terça-feira, 17, sobre as reivindicações dos bancários envolvendo os planos de saúde Cassi e Saúde Caixa. Em Sergipe, representantes do Sindicato dos Bancários estiveram nas agências General Valadão (BB) e Serigy (CEF) para dialogar com a categoria sobre a situação.

Os bancários temem que a crise financeira atinja a Cassi e prejudique o Plano de Associados. A categoria quer a prorrogação o “Memorando de Intenções” que garante os recursos adicionais para a Cassi até dezembro de 2022.

No caso do Saúde Caixa, os bancários querem a concessão do benefício a toda a categoria. Atualmente, aqueles que ingressaram após 01 de setembro de 2018 não têm direito ao plano.

BB

O Banco do Brasil informou que aguarda o diagnóstico a ser emitido pela direção fiscal que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) instaurou na Cassi no último mês de julho. Após esse período, segundo o BB, terá de ser apresentado plano de resgate da sustentabilidade financeira da entidade. As soluções a serem encontradas irão considerar a governança da Cassi e a legitimidade do corpo social para decidir sobre alterações de estatuto.

O Banco do Brasil disse também que não vislumbra interrupção da assistência à saúde aos funcionários e aposentados, e que entende que é precipitada qualquer conclusão sobre o futuro da Caixa de Assistência.

Caixa

A Caixa esclareceu que as portarias nº 22 e 23 da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União (CGPAR) definem critérios para os planos de saúde das estatais, como por exemplo, participação da patrocinadora em no máximo 50% e individualização da cobrança das mensalidades, e que enquanto isto não for cumprido, não podem ocorrer novas entradas no plano de saúde.

A Caixa informou também que no último acordo coletivo firmado entre as entidades representativas dos empregados e o banco, consta que os empregados contratados a partir de 01.09.2018 não poderão ingressar no atual plano de saúde (Saúde Caixa) e terão direito a um plano de assistência à saúde, conforme legislação vigente.

Ainda segundo a Caixa, os empregados admitidos após essa data contarão ainda com a modalidade reembolso, em fase final de aprovação, respeitado o processo de governança da Caixa.

Com informações do BB e Caixa

Comentários