Redução do IPI pode levar à inadimplência

0

Setor automobilístico foi um dos mais beneficiados com a redução do IPI
A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em artigos como carros, material de construção e eletrodomésticos tem ajudado muito a não esfriar as vendas da indústria. Com a crise global, a lista de produtos beneficiados com a redução do IPI é cada vez mais extensa, na tentativa de manter empregos e estimular as vendas.

Entretanto, o consumidor precisa ter cautela na hora de realizar a compra. Deve-se evitar o endividamento e, principalmente, a inadimplência. Até mesmo o sergipano, que foi minimamente atingido pela crise mundial, deve se preocupar com o pagamento das prestações.

“Sergipe está lidando com a crise muito bem”

Inadimplência aumentou 35% em feveveiro de 2009
Para  o presidente da Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL), Samuel Schuster, o Estado está lidando com a crise muito melhor que os outros. “A inadimplência está alta, mas não é de fazer medo”, diz Samuel, afirmando que Para o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), a queda do IPI ainda não refletiu na inadimplência no Estado.

O presidente disse que a queda do IPI só deverá refletir para o SPC em junho ou julho. “O aumento do não-pagamento aumentou no início do ano devido às compras de dezembro”, declara Samuel, afirmando, entretanto, que “esse é um comportamento normal”, em alusão ao aumento de 35% na inadimplência do Estado.  

O gerente de vendas Antônio Carlos Macedo
Setor automobilístico foi atingido pela crise em dezembro

O gerente de vendas Antônio Carlos Macedo, que trabalha em uma concessionária da capital, diz que o período em que a crise realmente atingiu o setor foi novembro e dezembro, quando as vendas pararam. “A baixa do IPI, em meados de fevereiro e março, possibilitaram um recorde de vendas na nossa concessionária”, afirma Antônio Carlos.

Contudo, para a venda ser efetuada, o comprador normalmente deve pagar mais de 50% de entrada. “É uma política da casa que possibilita que a empresa não seja atingida pela crise”, afirma o gerente de vendas, contabilizando um

Luís Moura: “Consumidor deve analisar orçamento e capacidade de compra”
aumento de 60% nas vendas nos últimos meses.

Consumidor deve ter muita cautela ao comprar

Para Luís Moura, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a redução do IPI foi necessária para estimular o consumo e tem surtido efeito. “O consumidor deve ter cuidado ao adquirir qualquer produto. Mas se tiver necessidade do objeto, aproveite a redução do imposto e o compre”, diz Luís Moura.

O economista destaca, entretanto, a importância do planejamento na hora da compra. “O comprador deve olhar seu orçamento e a sua capacidade de compra. No conjunto, temos hoje milhares de sergipanos que têm mais de R$ 2 bi em poupanças. Se o consumidor tiver algum dinheiro em conta, é bom ele aproveitar e comprar à vista”, declara o economista do Dieese.

Luiz Moura alerta os que compram por impulso: “Se você costuma comprar sem pensar e sem analisar a sua renda, a tendência é ou se arrepender da compra ou não conseguir pagar o valor”, avisa o economista.

Por Domingos Lessa e Aldaci de Souza

Comentários