Reforma gera procura e Sergipe atinge 30 mil pedidos de aposentadoria

0
Gerente Executivo do INSS em Sergipe aponta defasagem no quadro de funcionários. (Foto: Portal Infonet)

A reforma da previdência, cuja tramitação ainda ocorre no Congresso, é alvo de discussões e sua futura sanção gera expectativa de evolução econômica no país. Os debates, porém, não anulam o fato de que a discussão já nutre ansiedade na população que, consequentemente, aumenta a procura pelos benefícios nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em Sergipe, o número chama atenção: 30.870 atendimentos somente no primeiro semestre de 2019 e 100% de aumento de pedidos nas agências de Aracaju em relação ao mesmo período no ano anterior.

Demilson Carneiro de Souza, 64, e Arnaldo Flaviano Mota, 62, visitaram agência para tirar dúvidas. (Foto: Portal Infonet)

O gerente-executivo do INSS em Sergipe, Raimundo Brito, destaca que, dentre os 30 mil, pouco mais de 18 mil já foram analisados. A demora é atribuída ao aumento no número de pessoas que deram entrada no benefício durante os primeiros meses do ano e ao atual quadro de funcionários defasado no estado. “Estamos fazendo em todo o Brasil um processo de produtividade. O servidor que trabalha na fila e atinge uma pontuação, trabalha por fora para cada processo analisado e concluído. Tivemos uma grande perda, de janeiro até agora foram 105 servidores aposentados [em Sergipe]”, justifica Raimundo.

Enquanto isso, a população segue visitando agências e protocolando pedidos via internet. A agência do instituto localizada no bairro Siqueira Campos é um dos principais locais de procura. Lá, o Portal Infonet conversou com Demilson Carneiro de Souza, 64, e Arnaldo Flaviano Mota, 62, sogro e genro, respectivamente.  O primeiro viu uma notícia que lhe deixou na dúvida se já tem direito à aposentadoria e o segundo é pensionista e quer entender como ficará sua situação ao chegar na idade mínima prevista para receber o benefício da aposentadoria. “Minha esposa faleceu com 49 anos e eu recebo pensão através dela. Com essa reforma eu posso perder. Vou optar pelo que for vantagem para mim”, argumenta Arnaldo.

Maria Augusta, 61, e Ana Paula, 25, vão à agência no bairro Siqueira Campos. (Foto: Portal Infonet)

Na fila da mesma agência, mãe e filha (Maria Augusta, 61, e Ana Paula, 35) explicaram que a ida ao INSS foi para tirar dúvidas. “Viemos nos informar por causa da idade dela [Maria Augusta]. A moça disse que só com os 65, mas vamos fazer o cadastro e ver o que diz. Já vamos nos familiarizando e vendo o que precisa”, explica Ana Paula.

Entre os atendimentos registrados, que variam entre aposentados, pensionistas e beneficiados pelo salário-maternidade, 11 mil tiveram êxito e já recebem o auxílio. Outros sete mil foram rejeitados e poderão recorrer em outras instâncias. “Os indeferidos são pessoas que não tiveram o tempo correto de contribuição, às vezes, também, é um benefício que a pessoa solicita e não tem direito.”, explica o gerente.

por Daniel Rezende

Comentários