SE é recorde na geração de empregos nos últimos 10 anos

0
Segundo o Caged, o Estado criou o maior número de empregos em uma década (Foto: ASN/Valor Econômico)

A criação de empregos formais em Sergipe obteve seu melhor resultado para o mês de outubro dos últimos 10 anos. O dado foi constatado pelo levantamento que acaba de ser divulgado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego (Caged/MTE).

Em 31 dias foram ocupadas 4.993 novas vagas, frente às 3.139 de outubro de 2012 – um acréscimo de 59% (2/3). Este saldo elevado está relacionado à cadeia sucro-alcooleira que reiniciou o seu ciclo de produção recuperando os empregos perdidos nos primeiro semestre, no período da entressafra. Com isso, as atividades industriais apresentaram um salto, destaque para a fabricação de álcool, que obteve 1.796 admissões e a fabricação de açúcar bruto, com 398 admissões.

O setor agropecuário também registrou seu recorde do ano, foram 1.757 contratações, das quais 1.700 foram provenientes do cultivo de cana de açúcar.

O setor de serviços vem logo em seguida da agropecuária com 626 novos empregos (var. 0,54%). Após três meses de forte ritmo de contratações, o saldo volta ao nível de julho, porém com desempenho melhor que o de outubro de 2012 quando registrou 190 demissões. Os serviços que mais se destacaram foram: os relacionados à área da saúde, onde foram registrados 313 empregos; os serviços de teleatendimento, com 241 empregos; e a prestação de serviços especializados para condomínios e prédios, com 110 empregos. No ano, o setor de serviços tem sido o principal mercado de trabalho sergipano, acumulando entre janeiro e outubro 9.278 empregos criados e uma variação elevada de 8,44%.

O comércio registrou 220 contratações (var. 0,36%) das quais 162 foram no varejo (var. 2,09%) e 58 no atacado (var. 0,11%). No acumulado são 1.257 empregos e 2,04% de crescimento. Já na construção civil foram 162 trabalhadores contratados e uma variação de 0,45%. No ano, porém, este setor tem sido o que mais emprega depois dos serviços com 1464 empregos (var. 4,17%). Os demais setores: a indústria extrativa mineral, os sérvios industriais de utilidade pública e administração pública, geralmente apresentam pouca variação do nível do emprego.

"Grande parte desse acréscimo no número de empregos se deve ao fato da indústria sucroalcooleira ter voltado a empregar, com o início da safra", avalia o assessor econômico do Governo de Sergipe, Ricardo Lacerda.

Passa também pela política estadual de geração de empregos, que entre 2007 e 2012 teve papel decisivo para que fossem criados em Sergipe 100 mil novos postos de trabalho com carteira assinada.

Uma das ações leva o nome de Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), que tem estimulado o desenvolvimento socioeconômico estadual mediante a concessão de apoio aos investimentos, em parceria com prefeituras municipais.

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais