SE teve 1.379 pedidos de Seguro-Desemprego na primeira metade do mês

0
Ao todo já foram mais de 34 mil pedidos no ano em Sergipe(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, revelou que, na primeira quinzena de setembro deste ano, 1.379 trabalhadores solicitaram o seguro-desemprego em Sergipe

No mesmo período, foram 996 parcelas emitidas em Sergipe, que somaram quase R$ 1,2 milhão pago em benefícios do Seguro-Desemprego. Essas parcelas referem-se aos pedidos solicitados a partir do sétimo dia após a data da demissão do trabalhador até 120 dias.

Em termos relativos, houve queda de 18,5% no quantitativo de requerentes em relação à primeira quinzena de setembro do ano passado, quando foram registradas 1.692 solicitações. Já na comparação com a 1ª quinzena de agosto deste ano, a redução observada foi de 16,9%.

De janeiro até a primeira quinzena de setembro de 2020, Sergipe teve 34.809 pedidos de seguro-desemprego, assinalando aumento de 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Solicitações de seguro-desemprego por setor na 1ª quinzena de setembro/2020

A análise dos dados apontou que 41,8% das solicitações foram provenientes de trabalhadores desligados do setor de Serviços (576 requerentes), seguido do Comércio, com 25,5% (351 requerentes), e Indústria, com 15,7% (217 requerentes). Logo após figuraram os setores de Construção, com 12% do total de solicitações (166 requerentes), e da Agropecuária, com 5% (69 requerentes).

Pedidos pela internet e presencial na 1ª quinzena de setembro/2020

No período analisado, 87,1% do total de solicitações foram realizadas via Portal de Serviços do Governo Federal ou via aplicativo da Carteira de Trabalho Digital, o que corresponde a 1.201 solicitações, sendo o restante presencialmente nos postos de atendimento.

Fonte: NIE/FIES

Comentários