Sebrae visa formalizar 500 trabalhadores em Sergipe

0

Tenda fica na Praça General Valadão até o próximo sábado, 2 (Fotos: Portal Infonet)

A movimentação já é grande na estrutura de 100 m² montada na Praça General Valadão pelo Serviço de Apoio às Micro às Micro e Pequena Empresas (Sebrae) para a realização da 3ª Semana do Empreendedor Individual, aberta na manhã desta segunda-feira, 27 com a finalidade de atrair novos empreendedores e capacitar os já formalizados. A meta do Sebrae Sergipe é de formalizar até o próximo sábado, 2, cerca de 500 pessoas.

A campanha acontece em todas as capitais brasileiras e em algumas cidades do interior com a expectativa de realizar cerca de 40 mil formalizações [quando uma pessoa física se registra como Empreendedor Individual e passa a ter CNPJ, podendo emitir nota fiscal e obtendo direito à cobertura previdenciária] e 50 mil atendimentos [quando o Empreendedor Individual é atendido pelo Sebrae, através de cursos, palestras, publicações e consultorias, de forma a estar melhor preparado como empresário]no país.

Trabalhadores querem se formalizar

De acordo com a gerente do Sebrae Sergipe, Ângela Souza, os trabalhos estão sendo realizados por uma equipe de 15 pessoas, das 8h às 18h. “Contamos ainda com agências financeiras oficiais a exemplo do Banese, BNB, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, além de instituições financeiras técnicas como INSS, Prefeitura de Aracaju, Corpo de Bombeiros, Sindicato dos Corretores (Sescap), Secretaria da Fazenda, Junta Comercial, entre outros”, ressalta.

Ela explicou ainda que os serviços são muito diversificados. “A procura maior é pela formalização de serviços no comércio. Sacoleiros e relacionados à beleza, a exemplo de cabeleireiros e manicures estão no ranking como os mais procurados”, destaca Ângela Souza acrescentando que os empreendedores podem encontrar produtos e soluções do Sebrae para oferecer um ambiente convidativo e confortável aos empreendedores e candidatos.

Empreendedor

Ângela Souza: "Serviços diversificados"

Para o trabalhador informal se tornar um Empreendedor Individual ou se a pessoa possui um pequeno negócio, precisa ter uma receita bruta anual de até R$ 36 mil, ter optado pelo Simples Nacional, trabalhar sozinho ou ter no máximo um funcionário ou ajudante.

Podem se tornar Empreenderores Indiiduais, cabeleireiros, costureiros, vendedores ambulantes, artesãos, manicures, borracheiros, eletricistas, chaveiros, salgadeiros, pipoqueiros, sapateiros, esteticistas, pintores, fotógrafos, marceneiros, lavadores de carro, bombeiros hidráulicos, técnicos em informtáticas, vidraceiros, torneiros, barraqueiros, cozinheiros, mecânicos, feirantes, marmiteiros ou qualquer profissional que exerça atividades de natureza não intelectual ou sem regulamentação.

Impostos

Servidores do Sebrae informavam na tenda montada na Praça General Valadão, que os impostos não são altos e que os trabalhadores não precisarão de um contador. Para se ter uma idéia, o imposto único no valor de até R$ 33,25 para indústria e serviços e de R$ 28, 25 para serviços no setor do comércio.

Benefícios

Ao se tornar um Empreendedor Individual, o trabalhador ganha direitos a exemplo de aposentadoria por idade, invalidez e especial; auxílio (doença, acidente e reclusão); salário maternidade e pensão por morte. Isso além de obter o CNPJ, poder emitir notas e vender para outras empresas e para o Governo, adquirir mercadorias, produtos e serviços a preço mais competitivos; ter acesso facilitado a serviços bancários e linhas de crédito e ainda poder filiar-se a entidades que defendam os interesses da categoria.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais