Sergipanas preparam kits para Marcha das Margaridas

0
Kits para participantes de Marcha estão produzidos na Fetase (Fotos: Cássia Santana / Portal Infonet)

A IV Marcha das Margaridas, evento nacional organizado pelo movimento sindical dos trabalhadores rurais e por movimentos sociais, será realizada nos próximos dias 16 e 17 em Brasília, tendo como lema “Desenvolvimento Sustentável com Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade”. As sergipanas já começam a se organizar para participar do encontro, que poderá contar com a presença da presidente Dilma Rousseff. Pelo menos é esta a expectativa dos organizadores, conforme ressalta Inês dos Santos, militante da Marcha Mundial das Mulheres, um dos movimentos parceiros da Marcha das Margaridas no Brasil.

A perspectiva é reunir cerca de 100 mil mulheres que têm participação ativa na produção econômica do país. De Sergipe, a delegação, composta por 900 mulheres, sairá na noite do dia 14, distribuídas em 17 ônibus. A grande maioria dos ônibus sairá de Aracaju, mas há transportes saindo de cidades do interior. Por volta das 22h do dia 14, o grupo se encontra em Cristinápolis, onde as mulheres pretendem realizar um ato político para transmitir informações sobre a Marcha das Margaridas.

Inês: prioridade para creches

No dia 15, todas as delegações dos Estados do Nordeste se encontram na cidade de Barreiras, no Estado da Bahia, onde o grupo promete realizar um novo ato político. E a previsão é que no dia 16 todas as mulheres já estejam em Brasília, participando das manifestações, que estarão concentradas numa espécie de cidade cenográfica, com toda infraestrutura erguida por movimento sociais e sindicais no Parque da Cidade.

Mobilização

Em Aracaju, as mulheres já começam a se mobilizar produzido os kits, contendo chapéus, camisetas, crachás e identificação de bagagem que serão distribuídos entre as 900 participantes. Um grupo de mulheres está se concentrando na sede da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetase), em Aracaju, onde as peças já começaram a ser produzidas.

A pauta da Marcha das Margaridas está distribuída em sete eixos de discussão: Biodiversidade e democratização dos recursos ambientais; Terra, água e agroecologia; Soberania e segurança alimentar e nutricional; Autonomia econômica, trabalho e renda; Educação não sexista, sexualidade e violência; Saúde e direitos reprodutivos e Democracia, poder e participação política.

Dentro destes eixos serão debatidas as diversas propostas de políticas sociais de forma a contemplar e reconhecer a mulher enquanto agente ativo do processo produtivo brasileiro. “E uma das maiores bandeiras é a construção de creches, especialmente no campo. Sem creches, não conseguiremos a autonomia financeira”, enaltece Inês dos Santos.

De acordo com informações de Luziete dos Santos Araújo, coordenadora estadual de mulheres da Fetase, a comissão organizadora da Marcha das Margaridas já teve encontro com representantes de seis ministérios do Governo Dilma Rousseff. No dia 13 de julho, o Governo Federal recebeu uma pauta de reivindicação contendo 158 itens e o grupo já recebeu a confirmação da presença da presidente do Brasil ao encontro no dia 17.

“O documento já foi entregue e está sendo analisado pela equipe do Governo, esperamos que no dia 17 a presidente Dilma Rousseff anuncie a postura do Governo quanto às nossas reivindicações”, enaltece Luziete Araújo.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais